[mpsp_posts_slider id='1254']

Nossos dias infinitos

Escritora: Claire Fuller ǀǀ Editora: Morro Branco ǀǀ 329 Páginas ǀǀ Gênero: Young Adult ǀǀ Classificação: 2,5

Nossos dias infinitosInformações: Todos os pais mentem. Mas algumas mentiras são maiores do que as outras. ‘Datas só nos fazem perceber quão finitos nossos dias são, quão mais perto da morte ficamos a cada dia que passa. De agora em diante, Punzel, vamos viver seguindo o sol e as estações’. Ele me pegou no colo e me girou, rindo. ‘Nossos dias serão infinitos’. Com aquela última marca, o tempo parou para nós em 20 de agosto de 1976′. Peggy tinha oito anos quando seu pai a levou para viver em uma remota cabana no meio de uma floresta europeia. Lá ele lhe disse que sua mãe e todas as outras pessoas do mundo morreram. Agora eles precisam viver da terra e sobreviver ao rigoroso inverno. Mas até quando a pequena Peggy vai acreditar na história de seu pai? Até quando você pode ficar são, quando o mundo está perdido? O que acontece quando você para de crer em tudo?

Opinião: Somos conduzidos durante a história por Peggy, mais conhecida como Punzel – abreviação de Rapunzel. A narrativa acontece em dois momentos, em 1976 e 1985, ou seja, os fatos anteriores e os recentes de sua vida.

Já começamos o livro meio perdidos, pois nos deparamos com a Peggy sem o seu pai, diferente do que lemos na sinopse, mas com o decorrer dos capítulos entendemos a história e ela começa a fluir melhor. Ute, a mãe de Peggy é uma pianista alemã muito famosa que se casou com James, que passa a fazer parte de um grupo conhecido como Refugiados do Norte de Londres e que não trabalha, pois a todo momento fica pensando em como eles irão sobreviver ao fim do mundo, por isso ele cria um bunker debaixo de sua casa e passa a treinar a Peggy para a hora em que este dia finalmente chegar.

Ute não parece gostar muito dos planos do marido e de seus amigos – sempre há reuniões do grupo em sua casa -, por isso acaba indo fazer uma turnê na Alemanha, mas foi uma decisão tão inesperada que tanto o pai como a filha ficaram sem saber o que fazer, o pai não sabia ficar só em casa, por isso decretou que Punzel não iria a escola até sua mãe voltar, logo passaram a viver nos arredores da casa – no cemitério e no jardim -, caçando e vivendo do que a natureza fornecia. Até que após um discussão por telefone com Ute, James resolve fazer as malas e ir embora com a Peggy, ele diz a menina que irão sair de férias.

Nossos dias infinitos

Com o passar do tempo, depois de andar muito, passar fome, Peggy passa a sentir saudades de casa e pergunta constantemente de sua mãe, mas o James sempre a enrola e diz que eles já já vão chegar na die hütte (a cabana) que eles tanto desejam… Assim que chegam, Punzel quer voltar para casa, mas seu pai diz que não existe mais casa e ninguém mais no mundo a não ser eles e que ali é onde eles irão morar agora, pois eles não podem atravessar a Grande Divisa. A partir daí a vida deles como moradores da die hütte começa, eles precisam se manter vivos e sobreviver às estações mais pesadas, como o inverno.

O livro todo momento deixa clara a visão de Peggy, seus medos e até mesmo sua opinião sobre os surtos e devaneios de seu pai, que é instável emocionalmente. Para ser sincera foi uma leitura bem difícil, pois eu queria logo saber o porquê do pai achar que o mundo iria acabar e porquê ele levou Peggy deixando sua esposa sem nenhum bilhete, mas estas respostas não são dadas claramente, temos que subentender – o que não é muito difícil rs.

Nossos dias infinitos

Este não foi um livro que me agradou muito, na verdade não sei dizer qual é o meu sentimento por ele, pois o fechamento foi tão inusitado que me passou pela cabeça que não verdade ele é um livro de suspense e não de drama. Toda vez que tento pensar qual o meu sentimento com relação a ele, eu não consigo chegar a ponto nenhum… Mas é um livro com uma belíssima capa, com uma ótima diagramação e alguns erros ortográficos, e a escritora ainda teve a sensibilidade de nos fornecer algumas perguntas para um eventual Clube do Livro, achei fofo ♥

Mês: Junho

Junho 2018

Já falei aqui no blog sobre livros no estilo chick lit ou como é mais conhecida “Literatura para mulherzinha”, no qual as protagonistas são mulheres fortes e modernas. Hoje resolvi fazer mais algumas indicações de livros com este gênero.

1. Eu odeio te amar de Liliane Prata – Editora Gutenberg
Descrição: Débora estava prestes a viver o dia mais feliz de sua vida. Tudo estava pronto para o casamento perfeito com Felipe, o noivo mais lindo e fofo que alguém poderia ter. O apartamento estava arrumado, e todos os detalhes da lua de mel na Grécia, acertados. Até um novo emprego na redação de uma revista feminina a esperava na volta da viagem. Seria o começo de uma nova etapa de uma vida com a qual ela sempre sonhou. Na véspera da cerimônia, o noivo precisou ficar até mais tarde no escritório para resolver as últimas pendências, e ela resolveu fazer uma surpresa e aparecer sem avisar. Mas quem foi surpreendida foi ela: pegou Felipe em flagrante com a irmã do sócio, na situação mais comprometedora possível. O que fazer? Armar um escândalo e terminar tudo? Esquecer o que viu, casar e ser feliz para sempre? O que fazer quando se sente, ao mesmo tempo, um amor profundo e um ódio avassalador? Para Débora, a resposta é: criar um plano maluco para sair dessa situação e dar a volta por cima!

2. Lembra de mim? de Sophie Kinsella – Editora Record
Descrição: Lexi desperta em um leito de hospital após um acidente de carro, pensando que está em 2004, que tem 25 anos, uma aparência desleixada e um namoro desastroso. Mas, para sua surpresa, ela descobre que está em 2007, tem 28 anos, é chefe de seu departamento e sua aparência está impecável. E ainda é casada com um lindo milionário! Ela não pode acreditar na sorte que teve. Mas conforme ela descobre mais sobre a nova Lexi, nota problemas graves em sua vida perfeita. E, para completar, uma revelação bombástica pode ser sua única esperança de recuperar a memória.

3. Azar o seu! de Carol Sabar – Editora Jangada
Descrição: Parada num engarrafamento no Rio de Janeiro, Bia está pensando em sua vida azarada. O motorista do carro ao lado, tenta se comunicar com ela, mas Bia não o reconhece. Então, ele sai do carro, mas não tem tempo de se explicar, pois começa um violento tiroteio e eles se jogam lado a lado no asfalto. Certa de que está prestes a morrer, Bia entra em desespero e se prepara para dizer suas últimas palavras, na esperança de que o suposto desconhecido possa levar um recado a Guga, seu amor da adolescência, sem perceber que é ele próprio que está ali, ouvindo a inesperada declaração de amor! Os dois escapam juntos do tiroteio e, a partir daí, começam a se envolver, dia após dia. Guga, sem coragem de assumir sua verdadeira identidade, e Bia, feliz consigo mesma por finalmente estar se apaixonando por alguém que não é Guga. Nunca uma maré de azar foi tão engraçada!

4. Curvas de aprendiz de Gemma Townley – Editora Record
Descrição: A londrina Jen Bell foi abandonada pelo pai e cresceu ouvindo sua mãe descrevê-lo como um monstro. Envolvida com a luta pela ecologia, sua principal ocupação era viajar com o namorado. Quando terminam, ela volta para Londres para trabalhar na Futuro Verde, a empresa engajada da mãe. Jen logo se envolve em um plano para investigar uma suspeita de corrupção na Bell, firma bem-sucedida do pai. Mas após se infiltrar na empresa, ela descobre que todas as histórias têm dois lados.

Junho 2018

Motive-se

Motive-se

O primeiro motive-se vem com a inspiração da Beatriz França, mais conhecida como Biapof. Ela é muito conhecida por transformar frases em arte, sempre com suas personagens diferenciadas e fofas.

Estas são as inspirações para o nosso mês que está acabando…

Motive-se Motive-se

Vocês tem alguém para indicar para o nosso próximo Motive-se? Me contem…

E espero que realmente o Motive-se deste mês tenha inspirado vocês e feito com que não deixassem a peteca cair!

 

 ǀǀ Quer entender o que é o Projeto Motive-se? Venha conferir clicando aqui ♥ ǀǀ

5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente

Em 5 de junho celebramos o Dia Mundial do Meio Ambiente, esta data foi criada pela Assembleia Geral das Nações Unidas, tendo o objetivo de promover atividades de proteção e preservação do meio ambiente, e alertar a população e o governo sobre a falta de cuidados com a natureza.

Achei três opções de lembrancinhas e atividade que me agradaram bastante e espero que gostem…

5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente

Sempre podemos melhorar as ideias, ou ter como base estas atividades para dar luz a novas ideias, me digam o que vocês pretendem fazer para esta data.

ǀǀ Fonte de pesquisa: Wikipédia ǀǀ Ideias: Pinterest ǀǀ

Motive-se

Motive-se

Ano passado comecei a fazer com os meus alunos um projeto motivacional, no qual incluía frases trazidas por eles. Todo dia era a mesma rotina: relaxamento, leitura da frase, discussão sobre ela e depois começávamos nosso dia com a agenda e as matérias.

• Por que eu criei esse esse projeto?
Pois percebi um pouco de falta de empatia dos alunos, falta de respeito com a opinião dos demais e aproveitei a deixa e linkei com os 7 hábitos desenvolvido no colégio que eu trabalho, com o decorrer do projeto percebi uma mudança nos alunos, mudança esta que os deixou até mais calmos.

• Como funcionava o projeto?
O líder do dia era responsável por trazer uma frase e lê-la para a sala, depois do debate ele a escrevia em metade de uma folha de sulfite e colocávamos na parede para que aquela frase ficasse exposta e quem quisesse a leria depois. Mas com o passar do tempo não apenas o líder do dia trazia uma frase, mas como vários alunos traziam e muitas vezes um aluno trazia mais de uma frase gerando assim um acréscimo no nosso dia, já que o começávamos com motivação e inspiração. Logo os alunos passaram a gostar e interiorizar algumas palavras ditas, por isso realmente acredito nesse projeto.

Confesso que ainda não comecei este projeto este ano, mas ele irá começar ainda neste trimestre!

Logo, pensando no meu projeto, vou começá-lo aqui também trazendo frases motivacionais e que nos dê inspirações, e claro trazer pessoas diferentes e que fazem de uma frase não apenas uma frase, mas uma arte que nos dá inspiração e que alegra nossos dias. Espero que gostem!


[instagram-feed]