[post-slides]

Como ajudar as crianças a entenderem a matemática

Nós, adultos, temos dificuldade em alguma área da matemática, imaginem as crianças…

Mês passado fiz um curso sobre matemática cujo o nome era “Construindo e compreendendo as ações e operações matemáticas”. Este curso me abriu muito os olhos, principalmente com relação as operações mais simples. Aos poucos vou vir compartilhar com vocês o que aprendi, mas hoje vou falar um pouco sobre a dificuldade que as crianças tem em desenvolver as contas e as situações problemas mais simples da matemática.

As crianças de hoje em dia são diferentes das de antigamente, pois hoje em dia os estudos estão mais avançados, a criação é diferente, as crianças estão mais espertas, principalmente com relação as tecnologias e estão sempre em busca de mais, por isso devemos sempre nos reinventar e traçar novos métodos para podermos ter a atenção das crianças e poder fazer com que compreendam a matéria.

Antigamente tínhamos que aprender na raça, ou apenas decorar, principalmente quando o assunto era TABUADA – ninguém nem conseguia ouvir o nome sem ficar estressado, rs. Não explicavam para a gente o porque, qual era o objetivo e para que servia, mas hoje com muitos estudos, principalmente na área da neurociência, vemos qual a importância de se passar tais informações para as crianças e vemos quão diferente é a aprendizagem assim que você passa a explicar melhor, ao invés de impor e querer que a criança apenas decore.

A primeira dica valiosa que aprendi no meu curso de matemática foi que, tudo que for apresentado para as crianças, primeiro elas precisam ter o contato com o concreto, pois para ela é muito abstrato apenas ter que fazer uma operação ou até mesmo uma situação problema, por isso tudo primeiro tem que ser trabalhado com o concreto (ficou redundante, mas é para dar muita enfase na necessidade da criança de tocar e olhar o material), com a construção. É rico e de grande ajuda para a criança se o que for trago estiver relacionado com o dia a dia da classe, pois além de concreto a criança também está familiarizada com o assunto.

Muitas vezes queremos passar logo a matéria, porque o prazo dos livros/ apostilas estão se excedendo e temos um prazo para terminá-los, mas não adianta darmos a matéria de qualquer jeito, temos que focar num bom aprendizado e levar em conta que cada aluno tem o seu tempo e precisa realizar a construção da matemática e a construção das operações.

Abaixo há duas fotos de exemplos de como ajudar as crianças com dificuldade em operações simples de adição e subtração usando o concreto.

• 7+2 usando canetinhas como objeto concreto afim de ajudar os alunos a raciocinarem visualizando, ou pode ser feita a simbolização através de pauzinhos.

Matemática

• 8-4 usando forminhas de doces, colocando oito formas fica mais fácil para a criança poder retirar 4 e saber como funciona a subtração.

Matemática

Depois deste texto e dos dois exemplos, espero que eu tenha ajudado um pouco e que possamos cada vez mais ajudar as crianças a entenderem melhor a matemática e quebrar o tabu de que matemática é muito chata.

Como orientar seu filho a arrumar a mochila

Leitores escolhi este tema, porque cada vez mais nossos alunos, filhos, sobrinhos, em geral preferem não arrumar a mochila para o próximo dia de aula e isso acaba atrapalhando o desenvolvimento e a correção das lições de casa, por isso devemos ensinar não só em casa, mas em sala de aula, como eles devem arrumar suas mochilas, pois é algo que eles muitas vezes não sabem.

Devemos orientá-los a olharem todos os dias o horário das aulas para fazerem as lições, e até mesmo verificarem se está tudo em ordem e completo;
Após a verificação e o término das lições de casa, eles deverão separar os cadernos e os materiais necessários para o próximo dia;
É muito importante nas primeiras vezes os pais acompanharem esta organização e verificarem se os alunos realmente arrumaram corretamente o material.

Material

E é dever dos professores acompanharem se os alunos realmente levaram todos os materiais do dia, e caso não tenham levado devem avisar os pais para que assim possam conversar com seus filhos e acompanhar mais de perto.

Sei que os alunos precisam de autonomia, mas nos primeiros anos do fundamental I (1°, 2° e 3°) é fundamental que as crianças sejam orientadas e acompanhadas a todo momento, para que assim elas se tornem pessoas mais organizadas.

Fora que devemos orientá-los a nunca levarem todos os cadernos, livros, apostilas e materiais, porque o excesso de peso causará problemas futuros à coluna e atrapalhará na formação dos mesmos.

Concluindo, a todo momento devemos orientar as crianças, pois não devemos ter a certeza de que eles já sabem o que devem fazer e além do mais, são crianças e elas esquecem o que realmente devem fazer, por isso vamos orientá-los e depois dar autonomia aos poucos para que assim possam ter um bom aproveitamento em sala de aula.

O que não pode faltar na lancheira das crianças

As aulas já estão para começar, e como sabemos as crianças precisam ter uma boa alimentação para ajudá-los no crescimento e no aprendizado. Por isso hoje vim falar sobre o que não pode faltar na lancheira das crianças.

Todas as crianças precisam de uma boa alimentação equilibrada e rica em vitaminas, por isso em na lancheira não pode faltar: vitaminas B12, A, B e C, entre outras. Mas claro que não devemos ficar na neura e querer obrigar as crianças a comerem o que não gostam, por isso devemos balancear colocando um item de cada grupo da pirâmide alimentar, como:

  • Construtores: são importantes para o crescimento e o desenvolvimento das crianças. Exemplos: carnes, leite e derivados, ovos e etc.
  • Energéticos: são os alimentos ricos em carboidratos. Exemplo: pães, cereais, geleia, biscoitos, bolos, etc.
  • Reguladores: são os alimentos ricos em vitaminas e que ajudam a regular o intestino. Exemplo: frutas, verduras, legumes, fibras, etc.
Pirâmide alimentar

O importante é ter diferentes opções, para as crianças não enjoarem. E caso não tenha dado tempo de montar um lanche instrua a criança a comprar na cantina alimentos parecidos aos que ela geralmente leva na lancheira, pois assim ela estará bem alimentada, saciada e pronta para aprender mais.

Exemplo de duas opções de lanches:

  • 1 suco de fruta sem conservantes + 3 bisnaguinhas com requeijão + uva
Lanche
  • 1 porção pequena de biscoitos de polvilho + iogurte + 1 maçã
Lanche

Links: Direito ao brincar, Publicidade infantil, Dicas para adaptação, Identidade e autonomia

Eu estava procurando matérias sobre a educação na internet quando me deparei com 4 matérias que realmente me chamaram à atenção e nas quais eu achei interessantes e gostaria de compartilhar com vocês.

1. Direito ao brincar: ajuda-nos a saber até que idade a criança tem direito à brincadeira, a saber até que idade a brincadeira deve ser vista como prioridade e como a brincadeira ajuda no desenvolvimento das crianças até os 12 anos.

Links

2. Publicidade infantil: nos faz entender quão grande é a influência das publicidades para as crianças, como isso as afeta e qual medida está sendo pensada para combater o assédio da publicidade infantil

Links

3. Dicas para adaptação: traz dicas que alguns professores desenvolveram para ajudar na adaptação das crianças. São dicas interessantes aos pedagogos e até mesmo aos pais, para que eles entendam como agir e como se portar diante da adaptação das crianças.

Links

4. Identidade e autonomia: nos mostra de acordo com o Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil o que implica a autonomia nas crianças, como as ajudam e como deve ser trabalhada.

Links

Livro paradidático – Peter Pan

No último bimestre de 2015 nós vamos usar o livro “Peter Pan” como livro paradidático, onde os alunos o lerão e depois realizarão um trabalho em cima do livro com perguntas, respostas, pesquisa sobre os 7  hábitos e ilustração. Muitas vezes os alunos perguntam qual a importância do trabalho em cima do livro paradidático, porque muitas vezes não gostam de ler o livro, de interpretar, ou os pais não querem comprar, mas eu explico que a leitura e o trabalho do livro paradidático é muito importante para a compreensão e interpretação de história, fora que os ajuda na imaginação, na escrita e na própria leitura e é por isso que cobramos e insistimos que eles façam todos os anos.

Mas voltando ao assunto do “Peter Pan” (rs), como vamos usar este livro no último bimestre, resolvi entrar em contato por e-mail com a Editora Zahar para solicitar dois exemplares do livro – um para mim e outro para a professora do 4º A (as editoras geralmente fornecem um exemplar para o professor desde que este livro seja adotado pela escola e pelos alunos). Fui muito bem atendida pela Editora Zahar e seus representantes e de primeiro momento me redirecionaram para a área correta e assim entrei em contato com a representante da editora que viria a nos fornecer os dois livros, porém ela queria fazer uma visita à escola, já que eles não à conheciam e assim marcamos uma reunião (eu, minha coordenadora e a representante da Editora Zahar).

No dia marcado eu fiquei muito ansiosa (já nem sou ansiosa, rs) e fui para a reunião no horário marcado. Durante a reunião a representante nos mostrou o catálogo de livros de 2015, nos contou algumas histórias infantis na qual eu me impressionei e amei de cara. Depois ela foi para a aba dos clássicos que são os livros que nós usamos e sinceramente eu sou apaixonada pelos livros da Editora Zahar, pois são capa dura e tem um preço acessível a todos.

Terminando a apresentação do catálogo conversamos sobre o meu projeto de leitura com o 4º ano, minha coordenadora falou sobre o meu blog e dicas de livros que faço (e confesso que eu fiquei com vergonha, mas feliz pelo reconhecimento) e a representante disse para eu me inscrever na seção de parceria que há no site da editora e finalizou a reunião nos presenteando com alguns livros… Eu recebi 4 (3 para mim e 1 para a professora do 4ºA) e minha coordenadora recebeu 2 livros infantis que ela encaminhou para a educação infantil, mas eu me recordo dos nomes que são: “Na Floresta” de Anthony Browne – que é espetacular, pois traz vários contos em um só livro – e o “Não derrame o leite” de Stephen Davies – no qual eu achei fantástico para trabalhar a autonomia e a responsabilidade nas crianças pequenas.

Abaixo estão os livros que recebi!

• Peter Pan – J. M. Barrie

• Diário de Pilar no Egito – Flávia Lins e Silva

• Peter Pan – J. M. Barrie – Edição comentada e ilustrada

Editora Zahar Editora Zahar Editora Zahar

Bom é isso! Gostaria de contar sobre o livro paradidático do último bimestre, meu contato com a Editora Zahar e como fui bem atendida pelas representantes, e assim que eu finalizar a leitura dos livros eu venho fazer uma resenha para vocês.

Como escolher minha próxima leitura?

Vocês já se pegaram parados em frente a estante se perguntando “E agora qual será a minha próxima leitura?”, pois é, muitos leitores caem nesse dilema porque acabamos comprando mais livros do que necessitamos.

Mas a escolha não é tão difícil, se na hora de comprarmos decidirmos comprar o gênero que mais gostamos ou nos identificamos, e não comprar aquele que está barato, ou que todo mundo está lendo, pois em toda nossa vida não conseguiremos ler todos os livros desejados, porque por ano são publicados mais de 10.000 obras, ou seja, é exorbitante a quantidade e não há comparação a quantos livros realmente iremos ler durante um ano.

Estante

Escolha da leitura

Eu ainda não sei definir o meu gosto literário, pois realmente gosto de tudo um pouco – menos terror -, acho que a minha leitura depende do meu estado de espirito, pois quando estou triste quero um livro mais dramático, quando estou feliz quero um romance (pode ser até mamão com açúcar), mas tem vezes que estou querendo mais um suspense, ou livro policial… Então fica realmente difícil de definir o meu gosto literário, mas tem pessoas que realmente já se identificaram e sabem o que realmente desejam de uma leitura e aí não acabam “perdendo tempo” com uma leitura que não é realmente prazerosa.

Mas claro, não há problema nenhum em experimentar outras escritas, outros gêneros, assim acabamos conhecendo um novo gênero que acaba nos agradando e nos tirando da nossa famosa “zona de conforto”.

O problema mesmo é quando as nossas leituras não são bem escolhidas e começamos a ler apenas por ler, acabamos nos massacrando, perdendo a vontade e até mesmo abandonando a leitura pela metade. Ler exigi tempo, dedicação, concentração e mais um monte de aspectos, então para que gastar o tempo realizando uma leitura que não lhe agrada? (A não ser que seja obrigatória como: para a escola, faculdade, cursinho, trabalho, etc)

Não julgue o livro pela capa

Nós leitores realmente nos impressionamos e julgamos um livro pela capa e isso não é algo bom, pois vamos no impulso porque amamos a capa, aí compramos o livro e vamos lê-lo e nos deparamos com uma leitura que não nos agrada, que fica parada na estante e que ainda nos fez gastar o dinheiro que poderíamos ter comprado um livro que realmente fosse mais agradável. Por isso ao comprarmos um livro para ler devemos avaliar tudo: sinopse, capa, comentários, informações adicionais como comentários, entre outros fatores.

Pode ser um exagero, mas eu sei bem como é um livro empacado na estante, possuo alguns e as vezes penso que poderia ter comprado outro que eu realmente desejava. E cá entre nós, trocar no sebo não está mais valendo a pena, estão pagando pouco e quase nunca tem livros bons – pelo menos na minha região não tem -, por isso ficam na minha estante mesmo! Vai que um dia eu resolvo ler algum, rs.

Estante

Os benefícios da leitura

Os benefícios da leitura são inúmeros, como: ler melhor, desenvolver uma boa dicção, desenvolver a memória, a imaginação, conhecer outros costumes, países, pessoas, entre outros benefícios. E gastar tempo realizando uma leitura prazerosa nos dará um ânimo e uma sensação de tempo bem gasto, ou seja, realmente valerá a pena.

Então pelo que podemos perceber a leitura é escolhida por nós mesmos e pelo gênero que preferimos, por isso desencane de ficar tirando o papelzinho da jarra, ficar sorteando, ou fazer uni-duni-tê, pois ler um livro por mais que não agrade é sempre uma leitura bem vinda, um novo aprendizado e uma nova lição, mesmo que não estejamos realmente sintonizados com aquela leitura agora, futuramente em algum aspecto de nossas vidas iremos lembrar dela e talvez desejar relê-la.

Termino este post desejando uma boa escolha a todos para a próxima leitura! Se o post realmente lhe ajudou a escolher, ou tirar dúvidas sobre como escolher a próxima leitura, deixe seu comentário aqui em baixo, irei adorar respondê-lo e saber sua opinião.

Campanha ‘Leia para uma Criança’ 2015

Hoje vim falar sobre um projeto de leitura que o Banco Itaú faz e que eu acho muito significativo, que é o ‘Leia para uma Criança’. Neste projeto você ganha dois livros, mas para isso você tem que acessar o link abaixo.
Campanha-Itaú
Após clicar você será redirecionado para uma página onde avistará os dois livros da campanha 2015 que são: “Dorme, menino, dorme” da Laura Herrera e “Tatu-balão” da Sônia Barros.

Há 3 anos eu já peço os livros e eles realmente são excelentes e são totalmente direcionados ao publico infantil. Os livros são cheios de imagens, frases curtas e de fácil compreensão e são histórias que as crianças se interessam já quando ouvem o título do livro.

Campanha Itaú 2015
Eu acho muito válido solicitar os livros mesmo que você não seja educador, pai, ou mãe, pois você pode ter um primo pequeno, sobrinho, ou até mesmo filho de amigos que se ao visitarem a sua casa, você poderá emprestar, ou até ler para as crianças e desta forma você estará incentivando a leitura e ajudando no desenvolvimento da criança.

Se você já pediu o seu livro, ou se interessou em pedir comente aqui em baixo falando o que achou desta campanha do Banco Itaú!

Estresse de fim de ano

Boa noite leitores!

Não sei para vocês, mas para mim o ano voou… Mal pisquei já estava nas férias de Julho e agora, mal voltei já estamos terminando todo o conteúdo para podermos fazer as provas finais e vem férias novamente.

Assim como os adultos as crianças também já estão estressadas, cansadas, querendo e precisando de férias, pois se vocês não sabem as crianças também se estressam.

Sempre falamos aquela frase “Como era bom ser criança, não me preocupar com nada, não me estressar” e assim vamos relembrando nossa infância, mas esquecemos que nessa mesma época, ficávamos preocupados em tirar uma boa nota na prova, ou os pais cobravam uma boa nota, nos preocupávamos com qualquer briga que nossos pais tivessem, ou se o cachorro sumia, ou se algum ente querido falecia… Não deixávamos de nos estressar de certa forma.

E esse estresse que passávamos era bom, pois nos fez e nos faz quem somos hoje, nos preparou para os perigos iminentes que temos hoje em dia. O perigo seria se esse estresse infantil se repetisse constantemente, pois isso afetaria nosso socioemocional, então o alerta de hoje é para que fiquemos de olho em nossos irmãos, filhos, alunos para o caso de se mostrarem estressados constantemente.

Caso observemos que há estresse constante devemos atuar conversando, dando colo, afeto, mostrando que somos um porto seguro, em outras palavras dando total apoio e ajuda para que a criança supere o que está passando. Paul Tough disse que “não se trata de protegê-las do estresse, mas de ajudá-las a lidar e a superar esse estresse”.

Essa é a dica de hoje!

Conscientização para economia da água

Bom dia gente!!

Hoje vim falar sobre um assunto muito importante.

Cada vez mais está chovendo menos e o calor não para e as represas e rios estão secando e então devemos aproveitar esse período para ensinar nossos alunos sobre a conscientização para economia da água, pois todos sabemos que assim que aprendem eles chegam em casa contando e querendo que os pais façam exatamente o que aprenderam na escola. Então essa é a hora!

Podemos desenvolver um projeto, trabalhos, cartazes, pesquisas e explicando para eles o que está acontecendo ao redor deles, pois muitas vezes eles não sabem, ou não ouviram falar sobre as secas, ou até mesmo racionamento que há nesta época do ano.

A melhor forma de tocar no assunto é fazendo perguntas, instigando eles, como: Vocês já pararam para pensar como a água é importante? Quantos copos de água vocês bebem por dia? Quantos banhos vocês tomam por dia? Vocês já imaginaram nosso mundo sem água? E sem chuva?… E assim nós vamos despertando a curiosidade deles e entrando no assunto de forma abrangente e com eles participando.

Texto exemplo, para ser lido para os alunos

Economizar água é necessário, pois se não mudarmos os nossos hábitos a escassez de água para o consumo vai nos afetar seriamente.

Os 2,5% de água potável disponível no planeta não são distribuídos de forma homogênea entre a população humana ao redor do mundo. A ONU (Organização das Nações Unidas) estima que um bilhão de pessoas não possuam acesso a um abastecimento de água que seja suficiente para suprir suas necessidades diárias.

Com o avanço das industrias e o aumento da população mundial, a demanda por água só tenderá a aumentar e, se não a consumirmos de forma consciente, ela será um recurso cada vez mais escasso, o que aumentará os conflitos pelo seu acesso.

• Não demore no banho, cinco minutos é o suficiente.

• Desligue o chuveiro na hora de se ensaboar e de passar o xampu e o condicionador, religue-o somente na hora do enxague.

• Evite brincadeiras com água.

• Desligue a torneira ao escovar os dentes.

É isso gente, espero que vocês gostem e despertem a conscientização em seus alunos, para que eles possam ser adultos conscientes e assim preservem a água.

Beijos e até o próximo post.

Como trabalhar a matemática?

Boa noite leitores!

 

Hoje vim tratar de um assunto que não sei para vocês, mas para mim as vezes é um pouco difícil de se passar para os alunos, pois eles ficam ansiosos e me interrompem, não deixam eu terminar a explicação e vão logo falando, ou querendo que eu explique logo.

Ensinar matemática… Não é apenas o ato de ensinar, é passar, transmitir, pois não adianta querer que eles decorem apenas para prova, pois assim nunca aprenderão.

Como sabemos a matemática vem desde a educação infantil, quando eles começam a contar, ver figuras geométricas, fazer contas básicas de 1+1, montar quebra cabeça, usar blocos de construção e por aí vai. Só que quando entram no ensino fundamental a matemática fica mais complexa, requer mais habilidades, mais memorização, mais atenção com relação a tudo, eu sempre digo para os meus alunos que se errar um número na conta, eles errarão tudo, pois o resultado já não será o mesmo.

Uma coisa que faço todos os dias antes das aulas de matemática é: pedir que façam silêncio, que primeiro compreendam para serem compreendidos, que tentem fazer pelo menos um exercício sozinhos e se a dúvida permanecer irei ajudá-los, pois todos tem que sair da sala sabendo fazer, porque tudo o que é ensinada em sala, vai de lição de casa e isso tem funcionado bastante. Conversar com eles antes da aula tem ajudado eles a ficarem menos ansiosos e ouvirem primeiro a explicação da matéria.

Outra maneira de se trabalhar é fazendo texto explicativos, cartazes em que eles mesmos confeccionem, para assim colocarem em prática visualizando o conteúdo trabalhado. Esses dias alguns alunos estavam com dúvidas em geometria, todos juntos confeccionamos um cartaz explicando o que era cada figura e colando figuras após a explicação e isso funcionou bastante.

Bem, essa é a minha experiência. Se vocês tiverem mais sugestões escrevam no comentário, ficarei feliz em lê-las e respondê-las.

Beijinhos e até o próximo post.



[instagram-feed]