[mpsp_posts_slider id='1254']

Um ano letivo diferente de todos

Bom dia pessoas,

Tudo bem com vocês?

Meu final de ano foi um pouco agitado, pois em Dezembro fiz um curso da escola em que trabalho e acabei ficando sem postar, pois esquecia e quando lembrava era tarde de mais.

O curso que eu fiz é uma nova metodologia americana que o colégio acabou de adquirir que se chama “O líder em mim” que é baseado no livro dos 7 hábitos do Stephen R. Covey. É uma metodologia muito interessante e eu achei muito eficaz, nos mostra como sermos pessoas melhores e como sermos os nossos próprios líderes e passaremos isso aos alunos, mostrando que cada um pode ser o seu próprio líder e usando sempre as palavras chaves que há no livro, para que eles possam memorizar e aprender cada dia mais.
Além disso os alunos aprenderam a ser mais independentes, ajudar o próximo, como já disse ser uma pessoa melhor.
Mudando de assunto agora… Este ano estou com um 4º ano e esta sendo uma experiencia nova e cheia de desafios, pois cá entre nós faz tempo que eu já fiz o 4º ano né e não conseguimos lembrar de tudo, mas acho que estou indo bem (rs).
Por hoje é só depois eu volto com mais novidades de como estou me saindo no 4º ano e para falar um pouco mais de como estamos desenvolvendo “O líder em mim”.

Beijinhos e até logo,
Carina Pontes.

Culinária em Sala de Aula

Já faz muito tempo que não venho aqui postar, pois tive alguns probleminhas pessoais, mas prometo que não irei ficar tanto tempo sem postar novamente.

Hoje vim falar de um assunto que está crescendo cada vez mais nas escolas, elas estão acrescentando a aula de culinária no seu currículo escolar e eu amo essa aula e na minha opinião ela ajuda em vários aspectos, em várias áreas e matérias.

Além de ser pura diversão para as crianças cozinharem, elas também vêem como um dever, pois é assim que é passado para elas em casa, mas na verdade a aula de culinária é um momento de muita concentração e aprendizagem.

A aula de culinária pode ser dividida na escola de forma que todas as salas participem, fazendo com que cada semana cada sala até o fundamental I participe, pois nela poderá abordar a alimentação saudável, podendo assim incentivar os alunos a experimentarem alimentos que geralmente não comeriam em casa. E cada série irá trabalhar com diferentes aspectos e desafios, como por exemplo:

1 a 2 anos: Trabalham, basicamente, usando os cincos sentidos básicos do ser humano (tato, olfato, paladar, visão e audição) que, nessa fase, ainda não estão completamente desenvolvidos.

3 a 4 anos: Começam a criar a pratica da leitura e fazem exercícios para exercitar a memória, tentando reconhecer os objetos utilizados na cozinha e testam misturas.

5 anos em diante: Fazem trabalhos teóricos – como livros de receitas -, desenvolvem receitas de culinária regional e estudam outras épocas por meio do que se comia nelas.

Os professores podem trabalhar de forma contextualizada nas aulas de culinária na hora do preparo de uma receita –
desde a hora da higienização até o valor nutritivo dos alimentos. É até possível explicar conteúdos de sala de aula em uma aula de culinária, como por exemplo:

Português: Por meio das receitas e dos rótulos das embalagens, as crianças melhoram a leitura, a capacidade de interpretação e aprimoram o vocabulário.

Matemática: Ajuda com conceitos de soma, subtração, divisão e multiplicação e jogos de estimativa e trabalha unidades de medidas (quantidade, tempo, temperatura, massa, entre outros).

Ciências: A utilização dos mais variados ingredientes ajuda a conhecer sua origem, os estados físicos de cada um deles e a diferença entre material orgânico e não-orgânico.

Geografia: Ainda em relação aos alimentos, pode-se estudar a região de onde vêm os alimentos – como o tipo de solo, clima e hidrografia.

História: Estuda-se a cultura das regiões por meio de seus hábitos alimentares.

Artes: Ao modelar e imaginar novas formas de preparar os alimentos, completa e integra o trabalho.

Espero que vocês tenham gostado da informação e que vocês tenham a possibilidade de realizar aulas de culinária com os seus alunos, filhos (as), primos (as), sobrinhos (as), pois tudo que é proposto eles aceitam com empolgação e recebemos um grande retorno deles. Mas podemos levar essas aulas de culinária para dentro de nossa casa, pois assim há uma interação entre pais e filhos junto com a aprendizagem de uma forma gostosa e produtiva.

TDA: Desatenção, Hiperatividade e Impulsividade

Boa tarde,

Tudo bem com vocês? Estou a muito tempo sem postar, pois estou me dedicando muito a leitura e no momento estou lendo o livro ‘Mentes Inquietas da Ana Beatriz Barbosa Silva’ e que trata sobre o TDA: Desatenção, Hiperatividade e Impulsividade. Eu já estudei sobre esse assunto na faculdade, mas quis me aprofundar mais no assunto pois comprei este livro e vou compartilhar algumas coisas que vi até agora no livro e conforme eu for lendo e achando assuntos mais interessantes vou compartilhando com vocês.

O TDA é o Transtorno de Déficit de Atenção e as vezes é acompanhado da hiperatividade e as crianças que possuem esse Transtorno são mais conhecidas como: desastradas, desajeitadas, que não conseguem prestar atenção, que sonham acordadas e que se distraem ao menor dos estímulos. E podemos ver esses sintomas em adultos também, mas tanto em crianças como em adultos as vezes não se podem ter todos os sintomas.

Achei mais interessante o fato do TDA se manifesta mais em meninos, pois a cada 3 meninos há uma menina com TDA e geralmente o TDA nem sempre esta só naquela criança que não para na sala de aula, que perturba os amiguinhos e a paz da sala, mas aquela criança que as vezes temos que chamar atenção, pois fica “viajando” no meio das aulas, mas é quietinha e tem dificuldades em fazer as lições, ou atividades , essa criança pode possuir TDA também, mas o tipo não predominante e para ser realmente diagnosticados é bom encaminhá-la para a psicopedagoga da escola.

É muito importante sabermos que há várias formas de o TDA se manifestar e as vezes ele da mais enfase em um sintoma do que em outro, ou as vezes pode haver combinações de sintomas e. Quando um TDA deixa uma atividade para fazer de última hora, a mesma sai muito bem feita, apesar de o TDA achar que a atividade realizada não está boa.

Por hoje é só isso, espero que ajudem vocês a ficarem atentos nos seus alunos, pois as vezes quem pensamos que não tem TDA, pode ter e aquele que pensamos que tem, pode não ter.

Beijinhos e até a próxima.

Método Montessori ou Pedagogia Montessoriana.

Boa noite pessoal,

Faz tempo que não posto, né? Andava meio sem tempo e andei passeando em uns outros blogs, visitando e vendo coisas novas e em um deles tem uma blogueira que está grávida e ela resolveu fazer o quarto da filhinha dela baseado no método Montessoriano e eu já aprendi sobre ele na faculdade, mas com ela falando tanto e mostrando como faz bem para o desenvolvimento das crianças, resolvi relembrar aqui com vocês qual é o Método Montessori ou Pedagogia Montessoriana.

Para quem não sabe essa metodologia foi criada pela Maria Montessori, que a principio era médica e resolveu se especializar e se aprofundar na educação infantil e em como ajudar no desenvolvimento das crianças, no inicio sua metodologia foi feita para crianças com deficiências, mas acabou dando tão certo que ela resolveu expandir para todas as crianças.

Seu método visa o desenvolvimento e o crescimento da criança sem que haja uma obrigação, ou alguém mediando tudo a toda hora e como apoio a criança tem livros e objetos educativos que chamam à atenção da mesma para que possa se interessar e ir atrás do objeto e dessa forma explora-lo da melhor forma possível.

Em um local em que se tem em mente abordar o método montessori é muito importante deixar tudo a vista e ao alcance da criança desde pequena, como fazer prateleiras da sua altura, deixar objetos (brinquedos, livros,espelho, etc) para que dessa forma a criança possa ir atrás do seu próprio desenvolvimento e assim explorar tudo o que aguça os seus sentidos.

Bom pessoal é isso, fiquei com muita vontade de relembrar qual era mesmo o método montessori que a blogueira tanto falava, pois trabalhando em escolas tradicionais a gente acaba esquecendo das outras metodologias de ensino e as vezes é bom relembrar, pois alguma coisa pode nos ser útil no dia-a-dia com as crianças.

Ahhhh… E uma curiosidade que eu não sabia, o Material Dourado foi criado pela Maria Montessori para despertar o interesse das crianças pela matemática e para ao mesmo tempo elas trabalharem a imaginação e a inteligência da criança.

Beijinhos e até a próxima.

Birra faz parte do desenvolvimento infantil, você sabia?

Birra, manha… Tudo isso faz parte do comportamento das crianças e, provavelmente, você, já precisou driblar esses momentos de impasse, aonde sua paciência é testada.

A paciência dos profissionais da educação e dos cuidadores sempre é posta à prova quando o assunto é a birra das crianças, especialmente quando os pequenos estão na faixa dos 2 e 4 anos. É justamente nessa etapa de desenvolvimento que as manhas afloram, justamente porque é quando as crianças começam a desenvolver a identidade e a vontade própria. Ou seja, até as birras podem virar aprendizado, se você souber como lidar com elas.

Mas, em que momento elas surgem no dia-a-dia dos pequenos? Eles são dependentes e quando se deparam com suas limitações e com os “Nãos”, frustram-se e perdem o controle. O berreiro ou o debater-se no chão, aos gritos, significa algo como: “Quero fazer isso do meu jeito e não do seu!”. Como a criança ainda não desenvolveu a sua capacidade de saber esperar, não tem a noção do tempo, ela fica desassossegada e angustiada porque não consegue o que quer na mesma hora.

É hora de agir e ajudá-la a entender que existem outras maneiras mais tranquilas de se comunicar. Deixar que a birra torne-se uma reação frequente e comum da criança pode comprometer a sua personalidade e prejudicar as relações futuras. Por isso, fique ligado nestas dicas.

• Respire fundo! Claro que é difícil manter a tranquilidade diante de um escândalo da criança, mas, seu equilíbrio é essencial. Por isso, respire fundo e espere que a criança se acalme. Se necessário, leve-a para um local isolado. O que é importante ter sempre em mente: esse comportamento é normal, faz parte do desenvolvimento, mesmo que seja desagradável. Caso a criança se debata e possa machucar-se, segure-a firme e diga, com calma, para ela se tranquilizar. Quando isso acontecer, converse amigavelmente. Se for o caso, pegue-a no colo, porque ela precisa entender que é amada, mas que esse comportamento não é aceitável. Uma boa estratégia para desviar a atenção da birra é pedir à criança que o ajude em alguma atividade. Aqui você estará mostrando a ela a importância do respeito ao outro e que a colaboração e o afeto são importantes.

• Mas, por quê? Ao dizer um “Não”, explique por quê. Nessa fase, as crianças ainda não entendem bem qual o sentido das regras. Por isso, precisam conhecer as razões para acolhê-las. Mas, nem sempre elas compreendem que uma mesma regra vale para outras situações. Por isso, a repetição é necessária.

• O que está acontecendo? Depois que a crise passar, converse com a criança, fazendo perguntas simples: “O que aconteceu?”, “Por que você está agindo assim?”. Escute as respostas para entender se aquele comportamento é normal ou exagerado. Vamos supor que a criança se recuse a brincar de algo específico. Ela pode ter vivenciado alguma experiência traumática que a atividade a faz relembrar. Vale uma análise de cada caso.

• Exemplo é tudo! É importante que você seja exemplo de autocontrole, porque suas atitudes e os seus comentários são absorvidos cotidianamente pela criança.

• Vamos combinar? Uma boa estratégia para evitar as birras são os combinados. Por exemplo, a criança faz manha porque não quer ajudar a guardar os brinquedos após a atividade. Você entra com uma combinação: “Tudo bem não guardar agora, mas que tal você guardar antes de ir para o parquinho?”. Acolher o desejo da criança cria a possibilidade de ela refletir sobre a responsabilidade que tem sobre seus atos. Para o combinado valer a pena, precisa ter algum tipo de recompensa, se for cumprido, e de consequência, se não for. Caso contrário, o esforço não terá sentido para a criança e ela vai pensar que normas não precisam ser obedecidas. No caso do exemplo que demos aqui, a recompensa pode ser um forte abraço ou um cartãozinho com um desenho afetivo feito por você, valorizando a atitude da criança. Se ela não cumprir, não poderá ir ao parquinho aquele dia, fazendo outra atividade.

• Elogie sempre! Elogiar é essencial para a autoestima dos pequenos. Quando a criança cumprir algum combinado ou entender, sem birra, que ela não poderá ser atendida na hora ou do jeito que quer, enalteça a compreensão dela.


Vamos por em prática? 


Beijinhos e Boa noite!




Fonte de Pesquisa: Facebook

A Importância do Brincar na Educação Infantil

Boa tarde gente,
Estou aqui hoje
para falar de um assunto que todo mundo já conhece e é o mais escolhidos para
fazer o TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), mas eu acho esse assunto muito
importante, pois para os pais deixar seus filhos na escola não passa de um
tempo de diversão em que o filho estará brincando, mas mal sabem eles que as
brincadeiras que fazemos são importantes para o desenvolvimento das crianças a
para a aprendizagem e que aprender brincando é a forma mais gostosa que existe
e mais fácil de ensinar as crianças.
Brincar é uma importante forma de comunicação, é por
meio deste ato que a criança pode reproduzir o seu cotidiano. O ato de brincar
possibilita o processo de aprendizagem da criança, pois facilita a construção
da reflexão, da autonomia e da criatividade, estabelecendo, desta forma, uma
relação estreita entre jogo e aprendizagem.
Brincar, segundo o dicionário Aurélio (2003), é
“divertir-se, recrear-se, entreter-se, distrair-se, folgar”, também
pode ser “entreter-se com jogos infantis”, ou seja, brincar é algo
muito presente nas nossas vidas, ou pelo menos deveria ser.
Uma vez eu li em um site que é no brincar que as
crianças revelam aquilo que elas veem, e que realmente são e isso é importante
para o desenvolvimento delas e para que elas se expressem, pois desta maneira
lúdica ela vai tendo contanto com o mundo físico e social.
Concluindo o
brincar é muito importante para as crianças e nunca deixem que suas crianças
parem de brincar e nunca deixem que o jogo caia na rotina estejam sempre reinventando para que haja novas descobertas.

Beijinhos Carina.

Dia do Abraço

Todo dia é dia de algo, né? Mas hoje e si é o dia do Abraço e segunda-feira foi o dia do Pedagogo que eu esqueci de postarfalando sobre ele (sorry).
Mas uma vez eu fui em um curso que incentivava a gente a fazer o jogo do abraço na sala de aula com as crianças, para saber quantos abraços elas davam em um dia, para assim poder incentivá-las a terem mais afeto aos amigos e até mesm aos parentes e lembrei disso hoje, pois acho essa técnica muito boa e as crianças amam contar quem elas abraçaram no dia anterior.

Então essa é a dica de hoje, Façam o JOGO DO ABRAÇO com seus alunos.

Beijinhos e muitos abraços para vocês hoje.

Inicio do 2º Bimestre

Boa noite!

O 1º Bimestre acabou e esta semana iniciou o 2º Bimestre e graças a Deus a reunião de pais foi uma maravilha, foi sossegada, poucos pais questionaram as aulas de inglês da educação infantil, perguntando o que os filhos estavam aprendendo, ou até mesmo elogiaram as aulas e o progresso dos filhos.

Nesse 2° Bimestre resolvi abordar: no Maternal a família e os seus membros; no Jardim as formas e no Pré os objetos de sala de aula. Escolhi esses temas, pois são usados no dia-a-dia das crianças e isso facilita a memorização.

Vou contar um pouquinho da minha história. Por ser formada em Pedagogia, ter 5 anos de curso de inglês e por ter trabalhado em 2 escolas bilíngues isso me deixou apta a dar aulas de inglês e como meu foco é trabalhar com crianças acabei aceitando ser professora de inglês na nova escola em que estou trabalhando, mas meu objetivo mesmo é ser professora de educação infantil, pois não tem nada melhor do que ensinar os pequenininhos e ver o seu desenvolvimento e posso dizer isso, pois ano passado foi meu primeiro ano como professora e pude acompanhar todo o desenvolvimento e isso foi um máximo e por essas realizações acho que estou na profissão certa.

Como vocês viram, eu sou nova como professora, mas já venho trabalhando em escolas e com crianças á 5 anos e desde pequena sabia que queria fazer algo envolvendo as crianças. O sonho da minha mãe era que eu fosse pediatra, mas escolhi ser professora e não me arrependo.

E espero ajudar e tirar dúvidas de todo mundo que precisar.
Futuramente colocarei algumas dicas de atividades para cada faixa etária e algumas atividades.

Beijinhos.

 

Livros

Boa noite,

Hoje passei a tarde inteira no serviço querendo postar, pois estou fazendo books com as minhas 14 salas de educação infantil para a Feira do Livro e todos são falando sobre os Friends, para podermos adquirir um livro paradidático que se chama “Cookie and Friends”, que é um livro que tem desde atividades até músicas e histórias para as crianças aprenderem a ouvir em inglês também.

E eu gostaria também de comentar sobre os livros que ando lendo, esse ano eu prometi para mim mesma que ia ler muitos livros, pois ano passado fiz algumas entrevistas e a maioria perguntava quantos livros eu havia lido nos últimos 2 meses e isso é muito importante para nós pedagogas, pois temos que estar sempre atualizadas. Fiz até um Skoob para colocar os livros que eu ando lendo e por algumas dicas, mas por enquanto não estou lendo nenhum que seja especificamente de pedagogia, comecei a ler romances, para começar a voltar a ter gosto por ler e ta dando certo, pois já li 4 desde janeiro e para quem quiser saber mais sobre os livros que estou lendo vou postar o link do meu Skoob ai a baixo e logo mais coloco as fotos e as sinopses dos livros que eu li aqui no meu blog.

http://www.skoob.com.br/usuario/963290

Beijos a todos que leem o meu blog.

O que ando fazendo…

Boa noite,

Como eu havia dito no post anterior eu troquei de emprego e é totalmente diferente do que eu fazia e ainda estou me adaptando as coisas que eu tenho que fazer, mas por enquanto estou levando de boa, só tenho medo de quando chegar o final do bimestre e eu terei que fazer mais de 300 envelopes para por as mais de 300 atividades de mais de 300 alunos, são muitas crianças. Meu Deus! é nessa hora que bate o meu desespero e vontade de largar tudo.

Agora eu dou aula somente de Inglês para a Educação Infantil de um colégio grande e tem muitas salas e muitas crianças, para mim esta sendo difícil gravar o nome de todos eles ainda, mas da maioria eu já sei, mas vou falar um pouco do que estou fazendo e de como estou ensinando as crianças.

No maternal comecei com os Animals, pois eles são muito pequenos e ainda não sabem as Colors, mas vou incluindo as Colors enquanto falo dos Animals e eles estão gostando e sempre depois que leio uma história sobre o Animal do dia, vamos para a mesa pintar e registrar esse Animal em folha.

Já com o Jardim que são maiores, já iniciei as Colors e vou introduzindo alguns comandos para eles entenderem e aprenderem mais em Inglês, as vezes eles ficam perdidos e tenho que traduzir, mas eles estão pegando as coisas com muita facilidade.

No Pré eles já sabem as Colors e alguns Animals e por isso estou ensinando as Fruits, sempre enfatizando suas cores, tamanhos e dando alguns comando em inglês, como ir ao banheiro, falar Please sempre que quer algo e eles estão indo bem e pegando super bem.

Toda vez que entro em qualquer uma das salas, seja maternal, ou pré a recepção é ótima e eles sempre vem me abraçar, me beijar, sempre dando Good Morning/ Good Afternon e é uma festa para eles a minha aula.

Bom gente por hoje é só, eu irei postar algumas das atividades que dei para eles e no próximo post irei comentar um pouquinho sobre os livros que estou fazendo com cada sala para a feira do livro.

Beijinhos e até logo.



[instagram-feed]