A mulher na cabine 10

Escritora: Ruth Ware ǀǀ Editora:…

View more

Usei… E gostei!

Se você assim como eu…

View more

Antepasto de berinjela

Ingredientes • 1 berinjela grande…

View more

Mês: Setembro

Este mês as dicas de…

View more

Motive-se

Para acabar com a negatividade…

View more

Meu pé de laranja lima

Escritora: José Mauro de Vaconcelos…

View more

Mês: Agosto

As aulas já começaram, por…

View more

Danoninho caseiro

Esta é uma receita que…

View more

22 de março, Dia Mundial da Água

O Dia Mundial da Água foi criado pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas declarando que todo o dia 22 de Março de cada ano como sendo o Dia Mundial da Água.

Esta data foi criada para conscientizar as pessoas sobre a necessidade da conservação da água, abastecimento de água potável, preservação e proteção da água, fontes e suprimentos de água potável e por isso todos os anos durante esta dada há atividades, propagandas e até mesmo programas que falam sobre a conscientização do nosso bem mais precioso.

Podemos passar a música da Palavra Cantada ♪ De gotinha em gotinha e explorá-la, fazer atividades e até mesmo fazer um painel coletivo com os alunos. Segue algumas ideias…

22 de março, Dia Mundial da Água

ǀǀ Fonte de pesquisa: Wikipédia ǀǀ Ideias: Pinterest ǀǀ

Mês: Março

Março de 2018

Nada melhor do que começar o mês de março com leituras boas e criativas, não acham? E para explorar esta criatividade e também desenvolver o senso-comum, eu trouxe livros infanto-juvenil interessantíssimos e espero que gostem!

1. O rei maluco e a rainha mais ainda de Fernanda Lopes de Almeida – Editora Ática
Descrição: No reino desta história, as pessoas fazem o que dá na telha: o padeiro não fabrica pão há anos porque prefere pintar quadros, uma moça passa a vida ao lado de um poço esperando se encontrar no que sai lá de dentro, uma velhinha vigia a Torre do Sono para que ninguém se atreva a dormir… e todos procuram um estafilágrio, coisa que ninguém sabe o que é. Mais malucos ainda são o rei e a rainha: é ele quem serve o povo (até engraxa os sapatos do engraxate!) e só será coroado depois de ter servido bastante, e é ela quem dá aula quando a professora falta. Todo mundo ali fala o que tem vontade e acha muito sábios os provérbios do avô do rei, coisas aparentemente sem pé nem cabeça como ‘quem nunca se afoga muito se arroga’ e ‘uma cauda sem tropeço ou é falsa ou é de gesso’. É nesse lugar que a menina Heloísa vai parar um dia, guiada por uma formiga falante e questionadora. Levando na bagagem todas as referências do seu próprio mundo, Heloísa chega achando tudo aquilo muito errado. Os habitantes malucos do reino, por sua vez, acreditam que é Heloísa quem tem problemas – para eles, ela sofre de ‘dicionário’, mal que acomete quem se prende demais ao uso literal e utilitário das palavras. Em meio a diálogos sensacionais e situações muito inusitadas, Heloísa vai, aos poucos, descobrindo que cada um tem o seu jeito de ser e que há mais de uma maneira de ver as coisas. Enquanto acompanham as aventuras da menina, os leitores compartilham as suas descobertas e, assim como ela, assimilam sem perceber valores essenciais: o questionamento do senso-comum e a autoconfiança.

2. A trem da amizade de vários autores – Editora Brinque Book
Descrição: Desde pequenos, descobrimos que os amigos são um bem precioso. Muitas crianças logo encontram seus pares. Outras têm mais dificuldades em se relacionar e se sentem sós, sem amigos. Artur era um desses. Todos os dias esperava na estação de trem de alguém viesse visitá-lo, mas nunca vinha ninguém. Até o dis em que ele resolveu procurar seus amigos em outras estações.

3. No reino perdido do Beleléu de Maria Heloisa Penteado – Editora Ática
Descrição: Valdomira é uma menina esperta e, quando seu irmão desaparece, ela tem certeza de onde ele está: no Beleléu, porque é lá que vão parar todas as coisas perdidas. Mas resgatar o irmão bagunceiro não será nada fácil. Primeiro ela vai precisar encontrar esse lugar misterioso e, então, terá de convencer um orangotango gigante, o Joaquim, a ajudá-la. Ainda bem que ela não desiste fácil…

4. O livro dos pontos de vista de Ricardo Azevedo – Editora Ática
Descrição: Mãe, pai, filho, filha e quatro animais de estimação: oito histórias, oito maneiras diferentes de ver a vida e avaliar as situações mais comuns do dia-a-dia. Cada um fala sobre o outro, e como se contradizem! Que diversidade e riqueza de pontos de vista!

Março de 2018

8 de março, Dia Internacional da Mulher

Sei o quanto nossos dias em sala de aula são corridos e cheios de lição para dar e ensinamentos a passar para os alunos, mas é muito importante também, lembrarmos algumas datas importantes e ensinarmos o porquê devemos comemorá-las. Por isso resolvi falar um pouco destas datas e trazer algumas ideias do que podemos fazer nelas, apenas lembrancinhas simples para não ocupar muito o nosso tempo.

Vamos começar com a primeira data importante, então…

A ideia de criar o Dia da Mulher surgiu no final do século XIX e início do século XX nos Estados Unidos e na Europa, por causa das lutas femininas por melhores condições de vida e trabalho, e pelo direito de voto. Em 26 de agosto de 1910, durante a Segunda Conferência Internacional das Mulheres Socialistas em Copenhagen, a líder socialista alemã Clara Zetkin propôs a instituição de uma celebração anual das lutas por direitos das mulheres trabalhadoras.

A partir de 1909 as celebrações do Dia Internacional da Mulher ocorreram em diferentes dias de fevereiro e março – dependia do país. Logo no início de 1917, na Rússia, ocorreram manifestações de trabalhadoras por melhores condições de vida e trabalho e contra a entrada da Rússia czarista na Primeira Guerra Mundial. Os protestos foram brutalmente reprimidos, precipitando o início da Revolução de 1917. A data da principal manifestação, foi em 8 de março de 1917, por isso foi instituída como Dia Internacional da Mulher pelo movimento internacional socialista.

Em 1975 a ONU decretou que este seria o Ano Internacional da mulher e então passou-se a comemorar o Dia Internacional da Mulher em 8 de março pelas Nações Unidas com o objetivo de lembrar as conquistas sociais, políticas e econômicas das mulheres, independente de divisões nacionais, étnicas, linguísticas, culturais, econômicas ou políticas.

Selecionei algumas ideias que achei na internet.

Data Comemorativa - Dia das Mulheres

ǀǀ Fonte de pesquisa: Wikipédia ǀǀ Ideias: Pinterest ǀǀ

Mês: Fevereiro

Fevereiro 2018

Romance… romance e romance… Porque gosto de todos os gêneros, mas toda vez que vejo minha estante ou vou escolher um livro para comprar, me deparo apaixonada por mais um romance!!!!
Então… Mais quatro dicas de romances leves e lindos ♥

1. A garota das sapatilhas brancas de Ana Beatriz Brandão – Editora Verus
Descrição: Ele foi o farol que a salvou da escuridão. Ela devolveu as cores ao mundo dele. Da mesma autora de O garoto do cachecol vermelho. Daniel Lobos vive a vida plenamente. Dono de um coração enorme, o jovem divide seu tempo entre duas paixões: a música e as causas sociais. Até que seu caminho cruza o de Melissa, uma bailarina preconceituosa e mesquinha, que põe à prova aquilo em que ele mais acredita: que todo mundo merece uma segunda chance. Este romance mostra, através das lembranças de diversos personagens já conhecidos em O garoto do cachecol vermelho e amados pelo leitor, como as nossas decisões podem afetar o nosso destino. Respire fundo e venha descobrir o que levou Daniel a ter tanta fé em Melissa, quando ninguém mais acreditava nela. Toda história tem dois lados, e agora é a vez de conhecer a do garoto do cachecol vermelho.

2. Bela gratidão de Corey Ann – Editora Galera Record
Descrição: Um romance sobre amadurecimento e a dureza de crescer em uma cultura que exige das mulheres nada menos que a perfeição.
Corey Ann Haydu explora as complexidades da família, os limites do amor e quão duro é crescer em uma cultura que premia a beleza acima de qualquer outra coisa e cobra das mulheres nada menos que a perfeição. Uma leitura atual que dialoga direta e honestamente com a multiplicidade de questões enfrentadas por adolescentes e jovens no mundo todo – a confusão do primeiro amor, os dramas familiares e a construção da própria identidade no meio de toda essa loucura. O livro está cheio de personagens realistas, que tropeçam nos próprios medos e cometem erros com alguns dos quais é impossível não se identificar. Montana e sua irmã Arizona têm um pacto desde que a mãe as deixou: São elas duas contra todo o mundo. Com o pai sempre imerso em relacionamentos tóxicos e uma sucessão de madrastas essa foi a maneira que encontraram de seguir em frente. Mas agora que Arizona foi para a faculdade Montana se sente deixada pra trás e perdida, mergulhando em uma amizade vertiginosa e empolgante com a ousada Karissa. No meio disso tudo, Montana encontra uma distração em Bernardo. Resta saber se Montana têm a confiança necessária no que sentem um pelo outro para encaixar Bernardo na sua vida imperfeita.

3. O primeiro dia do resto da nossa vida de Kate Eberlen – Editora Arqueiro
Descrição: Tess e Gus foram feitos um para o outro. Só que eles não se encontraram ainda. E pode ser que nunca se encontrem… Tess sonha em ir para a universidade. Gus mal pode esperar para fugir do controle da família e descobrir sozinho o que realmente quer ser. Por um dia, nas férias, os caminhos desses dois jovens de 18 anos se cruzam antes que os dois retornem para casa e vejam que a vida nem sempre acontece como o planejado. Ao longo dos dezesseis anos seguintes, traçando rumos diferentes, cada um vai descobrir os prazeres da juventude, enfrentar problemas familiares e encarar as dificuldades da vida adulta. Separados pela distância e pelo destino, tudo indica que é impossível que um dia eles se conheçam de verdade… ou será que não? “O primeiro dia do resto da nossa vida” narra duas trajetórias que se entrelaçam sem de fato se tocarem, fazendo o leitor se divertir, se emocionar e torcer o tempo todo por um encontro que pode nunca acontecer.

4. É cada coisa que escrevo para dizer que te amo de Lucão – Editora Benvirá
Descrição: Às vezes, as palavras do dicionário parecem não ser suficientes para explicar sentimentos tão intensos e verdadeiros como o amor e a saudade, mas Lucão tem o dom de misturá-las de um jeito tão excepcional, que consegue dar explicações perfeitas para o coração. Escreve em poesia os sentimentos que muitas pessoas não conseguem escrever ou falar em língua alguma.
Em “É cada coisa que escrevo só pra dizer que te amo”, Lucão traz versos inéditos e faz uma compilação das melhores frases e poemas que publicou em seu blog – Abra o bico – ao longo de 10 anos. Nestas páginas há muitas facetas do poeta que nunca recusa um grande amor.

Fevereiro 2018

Mês: Janeiro

Janeiro 2018

Estamos chegando no final das férias…. Mas isso não nos impede de incentivar nossos filhos, primos, alunos a lerem livros, por isso lá vai mais quatro indicações de livros infanto-juvenil para a listinha de vocês, leitores!

1. O fantástico mistério da feiurinha de Pedro Bandeira – Editora Moderna
Descrição: Um pouco mais velha, e esperando o sétimo filho, Branca de Neve, agora Branca Encantado, convocou suas amigas para que descobrissem o paradeiro de Feiurinha, que havia desaparecido com seu príncipe, seu castelo e seu reino sem deixar pistas. Logo, a reunião estava completa. Chegaram Chapeuzinho Vermelho, Cinderela Encantado, Bela Adormecida Encantado, Rapunzel Encantado e Rosa Encantado Della Moura Torta. Juntas, começaram a discutir possibilidades e a pesquisar nos livros. Mas nem sinal da história de Feiurinha. Foram procurar um autor, que também não conseguiu nenhuma pista, e já estavam todos desanimados, quando Jerusa, a empregada, contou a história que ninguém encontrava. Agora, Feiurinha existiria para todos, com sua história escrita pelo autor.

2. Querido diário otário de Jim Benton – Editora Fundamento
Descrição: No primeiro livro da série ‘Querido Diário Otário’, Jamie Kelly consegue, através de estratégias mirabolantes, ler a ficha disciplinar da sua maior inimiga, a linda e loira Angelina. Mas a ficha acaba sumindo! Quem será o culpado? Fedido, o beagle vingativo, ou o priminho Dudu?

3. O touro Ferdinando de Munro Leaf – Editora Intrínseca
Descrição: O livro infantil conta a história do touro Ferdinando, que prefere cheirar as flores ao invés de lutar em touradas. Convocado para atuar nas touradas, Ferdinando evita as provocações tanto do toureiro quanto da plateia, pois, para ele, era mais divertido a vida no campo e viver em paz com a natureza.

4. A fada que tinha ideias de Fernanda Lopes de Almeida – Editora Ática
Descrição: As fadinhas aprendem que não se deve sair por aí inventando mágicas que não estejam no Livro das Fadas. Mas vai dizer isso a Clara Luz! Questionadora e criativa, ela quer ter idéias próprias, como transformar bule de café em passarinho, dar vida às nuvens e colorir a chuva. ‘Quando alguém inventa alguma coisa o mundo anda’, é o que ela diz. Mas nem todos aprovam comportamento tão original e inovador. Principalmente a rabugenta Rainha… E agora? O que será de Clara Luz?

Janeiro 2018