Usei… E gostei!

Aqueles dias mais frios, deixam…

View more

Mês: Julho

Os livros que irei indicar…

View more

Almondegas assadas

Ingredientes • 500 gramas de…

View more

Mês: Julho

Com a chegada das férias,…

View more

Motive-se

Mais um Motive-se para terminar…

View more

Nossos dias infinitos

Escritora: Claire Fuller ǀǀ Editora:…

View more

Mês: Junho

Já falei aqui no blog…

View more

Motive-se

O primeiro motive-se vem com…

View more

Como orientar seu filho a arrumar a mochila

Leitores escolhi este tema, porque cada vez mais nossos alunos, filhos, sobrinhos, em geral preferem não arrumar a mochila para o próximo dia de aula e isso acaba atrapalhando o desenvolvimento e a correção das lições de casa, por isso devemos ensinar não só em casa, mas em sala de aula, como eles devem arrumar suas mochilas, pois é algo que eles muitas vezes não sabem.

Devemos orientá-los a olharem todos os dias o horário das aulas para fazerem as lições, e até mesmo verificarem se está tudo em ordem e completo;
Após a verificação e o término das lições de casa, eles deverão separar os cadernos e os materiais necessários para o próximo dia;
É muito importante nas primeiras vezes os pais acompanharem esta organização e verificarem se os alunos realmente arrumaram corretamente o material.

Material

E é dever dos professores acompanharem se os alunos realmente levaram todos os materiais do dia, e caso não tenham levado devem avisar os pais para que assim possam conversar com seus filhos e acompanhar mais de perto.

Sei que os alunos precisam de autonomia, mas nos primeiros anos do fundamental I (1°, 2° e 3°) é fundamental que as crianças sejam orientadas e acompanhadas a todo momento, para que assim elas se tornem pessoas mais organizadas.

Fora que devemos orientá-los a nunca levarem todos os cadernos, livros, apostilas e materiais, porque o excesso de peso causará problemas futuros à coluna e atrapalhará na formação dos mesmos.

Concluindo, a todo momento devemos orientar as crianças, pois não devemos ter a certeza de que eles já sabem o que devem fazer e além do mais, são crianças e elas esquecem o que realmente devem fazer, por isso vamos orientá-los e depois dar autonomia aos poucos para que assim possam ter um bom aproveitamento em sala de aula.

Mês: Dezembro – parte 2

Mês Dezembro

Mais indicações para as crianças curtirem dezembro da melhor forma possível, mas claro que também eles tem que brincar, socializar, correr, pular e tudo mais que uma crianças saudável faz, mas  enquanto descansam um pouco, ou até mesmo antes de dormir eles podem tirar um tempinho para realizar uma gostosa leitura. Por isso hoje vim indicar mais quatro excelentes livros.

1. A mais bela de todas de Sarah Mlynowski – Editora Galera Record

Descrição: Após se mudarem de Chicago para Smithville, os irmãos Abby e Jonah sentem que há algo estranho na sua nova vizinhança. Quando o irmão caçula acorda Abby no meio da noite com uma novidade pra lá de esquisita ¬— o espelho do porão está assobiando —, os dois são sugados para o meio da história da Branca de Neve. E pior: precisam consertar as coisas… Sem querer, Abby pode ter influenciado a princesinha a dar um pé no príncipe.
Abby e Jonah terão que criar os mais mirabolantes planos para colocar o destino de Branca nos trilhos ou o mundo dos contos de fadas nunca mais será o mesmo!

2. Diário de Pilar na Amazônia da Flávia Lins – Editora Pequena Zahar

Descrição: Dessa vez, a rede mágica leva Pilar, Breno e o gatinho Samba para a Amazônia, onde eles entram em contato com os costumes, o folclore, os alimentos, a fauna e a flora locais. Alguns desses itens são descritos em boxes, tornando o livro atraente como leitura suplementar em sala de aula. O tema da necessidade de preservação da natureza percorre toda a história, que é graciosa e comovente: Pilar procura o pai, que não chegou a conhecer e de quem só tem uma foto antiga. Em sua busca, acaba enfrentando novos desafios, como o primeiro beijo e a descoberta do primeiro amor. Afinal, de seu último livro para cá, a personagem amadureceu, e também seu público.

3. Os dois terríveis volume 1 de Jory John e Mac Barnett – Editora Intrínseca

Descrição: Miles morava perto do mar. Miles tinha amigos. Miles era o garoto mais terrível de sua escola… Como ele vai conseguir sobreviver numa cidade chamada Vale do Bocejo?
O mundo das travessuras está prestes a ser reinventado. Uma dupla imbatível na pregação de peças surge onde menos se espera: na entediante cidade de Vale do Bocejo, famosa por ter muitas vacas.
Acostumado a ser o mais terrível de onde morava, Miles Murphy está decidido a manter sua fama em sua nova cidade, para a qual se mudou muito a contragosto. Só que Vale do Bocejo já tem seu rei das travessuras, e, para roubar o posto, Miles vai ter que se superar.
Uma guerra épica de trotes e peças toma conta da cidade, até que os dois terríveis finalmente decidem unir forças e pregar a maior peça já vista no mundo: algo tão mirabolante que deixará orgulhosos os membros da Ordem Internacional da Desordem.

4. O grande Ivan de Katherine Applegate – Editora Irado

Descrição: Ivan mora dentro de um shopping e nunca tinha pensado em voltar para a natureza até o dia em que a pequena Ruby, um filhote de elefante, foi comprado pelo dono do circo.
Baseado em fatos reais, “O Grande Ivan” é uma história deliciosa, cheia de humor, ao mesmo tempo doce e inteligente, sobre os direitos dos animais e sobre a força da amizade.
Não importa quantos anos você tem… Você deveria ler este livro hoje, agora mesmo. Aliás, o que você está esperando para começar?

Dezembro parte 2

A indicação número 1 é mais voltada para o público feminino, já as demais são para qualquer pessoa, de qualquer idade, pois até eu sendo adulta gosto de ler um livro infanto-juvenil às vezes, para realizar uma leitura leve, aprender coisas diferentes, conhecer as lições de moral que há nas histórias e até mesmo conhecer os contos que andam despertando o desejo de ler nas crianças.

Mês: Dezembro – parte 1

Mês Dezembro

Gente mil desculpas pelo atraso de post, mas é que eu estava sem internet desde domingo e foi difícil que viessem arrumar definitivamente o cabo da internet que havia sido rompido. Eu estou cheia de ideias e posts para este final de ano e o primeiro é este que venho falar do mês dezembro, que é o mês mais esperado e cobiçado por todos, por causa do recesso escolar, da faculdade e do trabalho. São apenas alguns dias para alguns, mas já dá para aproveitar um pouco para descansar, né?

Como temos bastante tempo ocioso agora em dezembro, hoje vim trazer 4 livros infanto-juvenis nos quais poderemos mostrar aos nossos alunos (as), pais, filhos (as), netos (as), sobrinhos (as) para que possam incentivar as crianças a fazerem bom uso das férias. Claro que elas precisam brincar, correr, pular, sair de casa, mas acima de tudo eles também precisam exercitar a mente e explorar outros mundos, por isso fiz esta lista abaixo e trarei mais indicações antes das férias terminarem.

1. Vovó Vigarista do David Walliams – Editora Intrínseca

Descrição: Se você acha que toda vovozinha é igual, precisa conhecer a avó de Ben. Ela poderia se passar por uma senhorinha qualquer: é velha, usa um casaquinho lilás e faz palavras-cruzadas. Toda sexta-feira Ben dorme na casa dela, e isso para ele é o fim. No jantar sempre tem repolho, a tevê nunca funciona e a avó o faz ir para a cama às oito da noite. E no dia seguinte nem tem aula! Como qualquer outro menino, Ben acha tudo isso chato demais. Ou pelo menos achava, até descobrir que a coisa toda não passa de um disfarce: vovó, na verdade, é uma vigarista internacional, a ladra de joias mais procurada do mundo. Agora, juntos, eles vão planejar o maior roubo de todos os tempos. Você com certeza vai rir bastante. E pode até chorar. Mas nunca, nunca mais vai pensar em vovós como antes.

2. Minha professora é um monstro de Peter Brown – Editora Intrínseca

Descrição: Monstros nem sempre são o que parecem.
Beto tem a pior professora do mundo. Ela ruge, bate o pé, e se você fizer aviõezinhos de papel, ela vai deixá-lo sem recreio. Essa professora é um monstro! Por sorte, Beto sempre tem os fins de semana para brincar no parque. Até que um dia… ele encontra a professora lá!
Ao passar algumas horas junto com ela, Beto vai aprender que as pessoas nem sempre são o que parecem.
Com senso de humor leve e fascinantes ilustrações, Peter Brown explora com sensibilidade um tema universal ao criar um livro que encanta crianças e adultos.

3. Mary Poppins de P. L. Travers – Editora Cosac Naify

Descrição: Uma das histórias mais amadas por crianças e adultos do mundo todo, ‘Mary Poppins’ ganha uma nova edição, com ilustrações do estilista Ronaldo Fraga, tradução do escritor Joca Reiners Terron e posfácio da professora de literatura inglesa da usp Sandra Vasconcellos. Depois de desenhadas por Fraga, como verdadeiros croquis de moda, os desenhos foram bordados à mão em tecido e fotografados em estúdio. O leitor vai, finalmente, descobrir a história de ‘Mary Poppins’, a babá mágica que chega inesperadamente para cuidar das crianças Banks e lhes abre os olhos para os mistérios e as maravilhas que nos cercam, todos os dias.

4. O Pequeno Príncipe de Antoine de Saint-Exupéry – Editora Zahar

Descrição: Um piloto cai com seu avião no deserto e ali encontra uma criança loura e frágil. Ela diz ter vindo de um pequeno planeta distante. E ali, na convivência com o piloto perdido, os dois repensam os seus valores e encontram o sentido da vida.
Com essa história mágica, sensível, comovente, às vezes triste, e só aparentemente infantil, o escritor francês Antoine de Saint-Exupéry criou há 70 anos um dos maiores clássicos da literatura universal. Não há adulto que não se comova ao se lembrar de quando o leu quando criança.
Trata-se da maior obra existencialista do século XX, segundo Martin Heidegger. Livro mais traduzido da história, depois do Alcorão e da Bíblia, ele agora chega ao Brasil em nova edição, completa, com a tradução de Frei Betto e enriquecida com um caderno ilustrado sobre a obra e a curta e trágica vida do autor.

 

Dezembro parte 1

Estes livros podem ser comprados nos sites das próprias editoras (basta clicar no nome da editora que o link será aberto em uma nova página), ou também podem ser encontrados em lojas como: Amazon, Lojas Americanas, Livraria Saraiva e Submarino (basta clicar no nome das lojas para ser redirecionado).

Algo que eu faço sempre antes de comprar um livro e que eu acho super válido, é olhar em todos os sites possíveis para comparar os preços e assim fazer uma compra justa e barata.

Espero que vocês façam bom proveito das férias e logo mais volto com mais dicas!

Livro paradidático – Peter Pan

No último bimestre de 2015 nós vamos usar o livro “Peter Pan” como livro paradidático, onde os alunos o lerão e depois realizarão um trabalho em cima do livro com perguntas, respostas, pesquisa sobre os 7  hábitos e ilustração. Muitas vezes os alunos perguntam qual a importância do trabalho em cima do livro paradidático, porque muitas vezes não gostam de ler o livro, de interpretar, ou os pais não querem comprar, mas eu explico que a leitura e o trabalho do livro paradidático é muito importante para a compreensão e interpretação de história, fora que os ajuda na imaginação, na escrita e na própria leitura e é por isso que cobramos e insistimos que eles façam todos os anos.

Mas voltando ao assunto do “Peter Pan” (rs), como vamos usar este livro no último bimestre, resolvi entrar em contato por e-mail com a Editora Zahar para solicitar dois exemplares do livro – um para mim e outro para a professora do 4º A (as editoras geralmente fornecem um exemplar para o professor desde que este livro seja adotado pela escola e pelos alunos). Fui muito bem atendida pela Editora Zahar e seus representantes e de primeiro momento me redirecionaram para a área correta e assim entrei em contato com a representante da editora que viria a nos fornecer os dois livros, porém ela queria fazer uma visita à escola, já que eles não à conheciam e assim marcamos uma reunião (eu, minha coordenadora e a representante da Editora Zahar).

No dia marcado eu fiquei muito ansiosa (já nem sou ansiosa, rs) e fui para a reunião no horário marcado. Durante a reunião a representante nos mostrou o catálogo de livros de 2015, nos contou algumas histórias infantis na qual eu me impressionei e amei de cara. Depois ela foi para a aba dos clássicos que são os livros que nós usamos e sinceramente eu sou apaixonada pelos livros da Editora Zahar, pois são capa dura e tem um preço acessível a todos.

Terminando a apresentação do catálogo conversamos sobre o meu projeto de leitura com o 4º ano, minha coordenadora falou sobre o meu blog e dicas de livros que faço (e confesso que eu fiquei com vergonha, mas feliz pelo reconhecimento) e a representante disse para eu me inscrever na seção de parceria que há no site da editora e finalizou a reunião nos presenteando com alguns livros… Eu recebi 4 (3 para mim e 1 para a professora do 4ºA) e minha coordenadora recebeu 2 livros infantis que ela encaminhou para a educação infantil, mas eu me recordo dos nomes que são: “Na Floresta” de Anthony Browne – que é espetacular, pois traz vários contos em um só livro – e o “Não derrame o leite” de Stephen Davies – no qual eu achei fantástico para trabalhar a autonomia e a responsabilidade nas crianças pequenas.

Abaixo estão os livros que recebi!

• Peter Pan – J. M. Barrie

• Diário de Pilar no Egito – Flávia Lins e Silva

• Peter Pan – J. M. Barrie – Edição comentada e ilustrada

Editora Zahar Editora Zahar Editora Zahar

Bom é isso! Gostaria de contar sobre o livro paradidático do último bimestre, meu contato com a Editora Zahar e como fui bem atendida pelas representantes, e assim que eu finalizar a leitura dos livros eu venho fazer uma resenha para vocês.

Para onde ir: com as crianças

Como ainda estamos em outubro, ainda dá tempo de levar as crianças para brincarem e se divertirem no mês que é todo dedicado a elas. Neste mês há vários locais com brinquedos, brincadeiras e atividades especialmente para as crianças.

Na escola em que trabalho levamos as crianças ao Kidzania para eles se divertirem no mês deles e hoje vim falar um pouco sobre este parque.

Kidzania

O Kidzania é um parque desenvolvido para as crianças “trabalharem”, pois suas atividades simulam profissões, onde os alunos trabalham para ganhar os KidZos e podem gastá-los da maneira que quiserem, seja fazendo cursos, tirando a carteira de motorista, ou até mesmo indo ao barbeiro ou a esmalteria.

Kidzania

Ele fica localizado no Shopping Eldorado – SP – no 2º subsolo. O parque possui dois andares nos quais disponibiliza muitas atrações para as crianças se divertirem e escolherem a profissão que mais as agradam, ele é adaptado para crianças de 4 a 14 anos, mas a partir dos 8 anos a crianças podem ficar sozinhas lá, pois há monitoramento por uma pulseira que é colocada assim que você entra no local e só é retirada após a saída do local.

Assim que você chega ao local parece que está indo ao aeroporto, pois você faz o check in para entrar e já ganha 50 KidZos para poder começar a brincadeira. A impressão que eles querem passar é que realmente você está saindo de São Paulo e indo para uma cidade totalmente diferente que é a Kidzania e eu achei isso fantástico para as crianças, pois se eu fosse criança ia me maravilhar e querer “brincar” em vários lugares.

Kidzania

A cada meia hora mais ou menos (varia de local, para local) há um novo “turno”, ou uma nova oportunidade de “trabalho” nos locais, por isso as crianças tem que ficar na fila e esperar. O local é cheio de patrocínio, como: Burger King, Brandili, Pizzaria 1900, Fini, Tam, CBN, Faber Castell, Nikon, Risqué, entre outras empresas.

Para os pais, tios, tias, avós, ou avôs que vão acompanhar as crianças não tem atividade nenhuma a não ser acompanhar as crianças. No local não se pode entrar com comida, por isso é possível comprar comida, lanche nos locais de patrocínio,onde as crianças fazem suas atividades e ainda há um local para os adultos sentarem, descansarem, carregarem o celular e até mesmo usar o wi-fi.

Kidzania

Há incêndio, onde os bombeiros vão apagá-lo, mas antes para se prepararem para apagar o incêndio as crianças assistem a um vídeo que mostra como os bombeiros devem se portar, qual a importância deles e quais seguranças devem ser tomadas. Também tem um hospital, onde as crianças podem se candidatar para alguma vaga, como doutor, enfermeira, cirurgião e eles realmente gostam e se divertem, pois tem o contato com a profissão. E no final eles recebem o salário em Kidzos, onde eles podem ficar com eles ou irem até o Banco Bradesco, abrir uma conta e depositar todo o dinheiro lá.

O parque tem muitas atrações e eu passei por todas para poder ver e conhecer e achei um local válido para levar as crianças, só que o valor da entrada é um pouco salgado, ainda mais para quem tem mais de um filho. Só que nesse mês das crianças há promoções no Groupon e no próprio site do Kidzania (é só clicar nos links que abrirão em uma nova página).

Kidzania

Espero que tenham gostado e para mais informações como: preços, horários e sobre as atrações entrem no site da Kidzania.

 

Estresse de fim de ano

Boa noite leitores!

Não sei para vocês, mas para mim o ano voou… Mal pisquei já estava nas férias de Julho e agora, mal voltei já estamos terminando todo o conteúdo para podermos fazer as provas finais e vem férias novamente.

Assim como os adultos as crianças também já estão estressadas, cansadas, querendo e precisando de férias, pois se vocês não sabem as crianças também se estressam.

Sempre falamos aquela frase “Como era bom ser criança, não me preocupar com nada, não me estressar” e assim vamos relembrando nossa infância, mas esquecemos que nessa mesma época, ficávamos preocupados em tirar uma boa nota na prova, ou os pais cobravam uma boa nota, nos preocupávamos com qualquer briga que nossos pais tivessem, ou se o cachorro sumia, ou se algum ente querido falecia… Não deixávamos de nos estressar de certa forma.

E esse estresse que passávamos era bom, pois nos fez e nos faz quem somos hoje, nos preparou para os perigos iminentes que temos hoje em dia. O perigo seria se esse estresse infantil se repetisse constantemente, pois isso afetaria nosso socioemocional, então o alerta de hoje é para que fiquemos de olho em nossos irmãos, filhos, alunos para o caso de se mostrarem estressados constantemente.

Caso observemos que há estresse constante devemos atuar conversando, dando colo, afeto, mostrando que somos um porto seguro, em outras palavras dando total apoio e ajuda para que a criança supere o que está passando. Paul Tough disse que “não se trata de protegê-las do estresse, mas de ajudá-las a lidar e a superar esse estresse”.

Essa é a dica de hoje!

Conscientização para economia da água

Bom dia gente!!

Hoje vim falar sobre um assunto muito importante.

Cada vez mais está chovendo menos e o calor não para e as represas e rios estão secando e então devemos aproveitar esse período para ensinar nossos alunos sobre a conscientização para economia da água, pois todos sabemos que assim que aprendem eles chegam em casa contando e querendo que os pais façam exatamente o que aprenderam na escola. Então essa é a hora!

Podemos desenvolver um projeto, trabalhos, cartazes, pesquisas e explicando para eles o que está acontecendo ao redor deles, pois muitas vezes eles não sabem, ou não ouviram falar sobre as secas, ou até mesmo racionamento que há nesta época do ano.

A melhor forma de tocar no assunto é fazendo perguntas, instigando eles, como: Vocês já pararam para pensar como a água é importante? Quantos copos de água vocês bebem por dia? Quantos banhos vocês tomam por dia? Vocês já imaginaram nosso mundo sem água? E sem chuva?… E assim nós vamos despertando a curiosidade deles e entrando no assunto de forma abrangente e com eles participando.

Texto exemplo, para ser lido para os alunos

Economizar água é necessário, pois se não mudarmos os nossos hábitos a escassez de água para o consumo vai nos afetar seriamente.

Os 2,5% de água potável disponível no planeta não são distribuídos de forma homogênea entre a população humana ao redor do mundo. A ONU (Organização das Nações Unidas) estima que um bilhão de pessoas não possuam acesso a um abastecimento de água que seja suficiente para suprir suas necessidades diárias.

Com o avanço das industrias e o aumento da população mundial, a demanda por água só tenderá a aumentar e, se não a consumirmos de forma consciente, ela será um recurso cada vez mais escasso, o que aumentará os conflitos pelo seu acesso.

• Não demore no banho, cinco minutos é o suficiente.

• Desligue o chuveiro na hora de se ensaboar e de passar o xampu e o condicionador, religue-o somente na hora do enxague.

• Evite brincadeiras com água.

• Desligue a torneira ao escovar os dentes.

É isso gente, espero que vocês gostem e despertem a conscientização em seus alunos, para que eles possam ser adultos conscientes e assim preservem a água.

Beijos e até o próximo post.

Como trabalhar a matemática?

Boa noite leitores!

 

Hoje vim tratar de um assunto que não sei para vocês, mas para mim as vezes é um pouco difícil de se passar para os alunos, pois eles ficam ansiosos e me interrompem, não deixam eu terminar a explicação e vão logo falando, ou querendo que eu explique logo.

Ensinar matemática… Não é apenas o ato de ensinar, é passar, transmitir, pois não adianta querer que eles decorem apenas para prova, pois assim nunca aprenderão.

Como sabemos a matemática vem desde a educação infantil, quando eles começam a contar, ver figuras geométricas, fazer contas básicas de 1+1, montar quebra cabeça, usar blocos de construção e por aí vai. Só que quando entram no ensino fundamental a matemática fica mais complexa, requer mais habilidades, mais memorização, mais atenção com relação a tudo, eu sempre digo para os meus alunos que se errar um número na conta, eles errarão tudo, pois o resultado já não será o mesmo.

Uma coisa que faço todos os dias antes das aulas de matemática é: pedir que façam silêncio, que primeiro compreendam para serem compreendidos, que tentem fazer pelo menos um exercício sozinhos e se a dúvida permanecer irei ajudá-los, pois todos tem que sair da sala sabendo fazer, porque tudo o que é ensinada em sala, vai de lição de casa e isso tem funcionado bastante. Conversar com eles antes da aula tem ajudado eles a ficarem menos ansiosos e ouvirem primeiro a explicação da matéria.

Outra maneira de se trabalhar é fazendo texto explicativos, cartazes em que eles mesmos confeccionem, para assim colocarem em prática visualizando o conteúdo trabalhado. Esses dias alguns alunos estavam com dúvidas em geometria, todos juntos confeccionamos um cartaz explicando o que era cada figura e colando figuras após a explicação e isso funcionou bastante.

Bem, essa é a minha experiência. Se vocês tiverem mais sugestões escrevam no comentário, ficarei feliz em lê-las e respondê-las.

Beijinhos e até o próximo post.

Campanha ‘Leia para uma criança’ 2014

Boa noite pessoal,

Como foi a semana de vocês?
Era para eu ter postado ontem, pois tenho o objetivo de postar toda quarta-feira e na semana que der

 

fazer mais de uma postagem, mas ontem eu estava muito cansada e me dei uma folga até dos serviços da escola (rs) e olha que tenho muitos textos (redações) para corrigir, pois na apostila (anglo) que usamos tem muitas construções de texto e também como é final de ano está mais corrido ainda.
Não sei se vocês já viram, mas o Itaú tem um projeto que se chama ‘Leia para uma criança’ aonde eles enviam livros para as pessoas cadastradas para que elas possam ler para uma criança, seja em casa, nas escolas, ongs. Eu acho esse projeto muito legal e quando fiquei sabendo a dois anos atrás logo fiz o meu cadastro e pedi os meus livros e esse ano não fiz diferente e já pedi os meus.
Os livros são fofos, com histórias bem legais e fáceis, tanto para eles entenderem, como para ajudar eles na hora de ler. Minha prima mesmo, pede para a filha dela desde que ela começou a aprender a ler, dessa maneira incentiva ela e ela treina a leitura.
Espero que vocês peçam e façam bom proveito e ‘Leiam para uma criança’! (é só clicar no nome do projeto que abrirá o site para fazer o cadastro)
Beijinhos e boa noite a todos!

Avaliação dentro de sala de aula.

Hoje vou abordar um assunto que hoje em dia é muito discutido dentro e fora da escola, pois preocupa tanto os professores, como os pais.

Tem professores e escolas que até hoje acham que avaliar o aluno é meramente através da nota que ele tira em uma prova, ou trabalho, mas hoje em dia com as mudanças na escolas, nas leis e até mesmo nos materiais escolas, percebemos que essa avaliação em sala de aula está mais flexível e abrangendo vários aspectos dos alunos.

Primeiro, devemos levar em conta o aluno por si só, não avaliar o grupo, cada aluno tem o seu tempo de aprender, tem a sua capacidade e diferença de um para o outro, as vezes um pode ter mais facilidade em uma matéria do que o outro e assim por diante. É ai que entramos, se percebemos que um aluno tem mais dificuldade em uma matéria do que em outra, daremos um suporte para ele e temos que ser observadores e cautelosos para não deixar isso passar, para quando chegar o final do ano o aluno não se prejudique e nem fique sem entender a matéria.

Segundo, devemos avaliar os alunos em todos os momentos não só nas provas. Avaliar pelo caderno, pelas respostas ás perguntas, pela leitura, comportamento e o que mais for necessário. Mas quando digo avaliar, não significa dar notas e sim dar um elogio, fazer um comentário para o próprio aluno dizendo que ele tem que melhorar em certo aspecto, pois nem tudo gira em torno de uma nota, eles tem que aprender a fazer e melhorar, pois será bom para eles próprios.

Achei interessante esta nota que li em um site ”

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), aprovada em 1996, determina que a avaliação seja contínua e cumulativa e que os aspectos qualitativos prevaleçam sobre os quantitativos. Da mesma forma, os resultados obtidos pelos estudantes ao longo do ano escolar devem ser mais valorizados que a nota da prova final.

E é verdade isso, nela que me baseio para avaliar meus alunos. Mas a escola em que trabalho tem essa visão que nos ajuda bastante e faz com que os alunos façam por si sós para serem valorizados.

Então, percebemos que hoje em dia a avaliação é mais ampla e que é apenas levarmos em consideração o objetivo de cada aluno e a sua capacidade e dificuldade que conseguiremos avaliar e ajudar nossos alunos a aprenderem e crescerem.

Espero que tenham gostado da informação.
Beijinhos.