Usei… E gostei!

Como faço tratamento com a…

View more

Mês: Dezembro

Agora que as férias do…

View more

Motive-se

Mais um achado do Pinterest……

View more

Anna e o beijo francês

Escritora: Stephanie Perkins ǀǀ Editora:…

View more

Usei… E não gostei!

O protetor solar facial é…

View more

Mês: Novembro

Este mês vamos de livros…

View more

Mês: Outubro

As últimas dicas infanto-juvenil para…

View more

Motive-se

Ahhhh… Como eu amo o…

View more

Anna e o beijo francês

Escritora: Stephanie Perkins ǀǀ Editora: Novo Conceito ǀǀ 288 Páginas ǀǀ Gênero: Young Adult ǀǀ Classificação: 3,5

Anna e o beijo francêsInformações: Anna Oliphant não está nada entusiasmada com a ideia de se mudar para Paris. Porém, seu pai, um famoso escritor norte-americano, decidiu enviá-la para um colégio interno na Cidade Luz. Anna prefere ficar em Atlanta, onde tem um bom emprego, sua fiel melhor amiga e um namoro prestes a acontecer. Mas, ao chegar a Paris, ela conhece Étienne St. Clair, um rapaz inteligente, charmoso e bonito, que além de muitas qualidades, tem uma namorada… Anna e Étienne se aproximam e as coisas ficam mais complicadas. Será que um ano inteiro de desencontros em Paris terminará com o esperado beijo francês? Ou certas coisas simplesmente não estão destinadas a acontecer?

Opinião: Fazia tempo que eu queria ler este livro, pois vi tanta gente lendo e falando bem dele, que pensei “Eu preciso ler este livro!”. Este foi o primeiro livro da Stephanie que li, tenho o “Isla e o final feliz”, mas não li ainda, porque me falta tempo…

A história é contada por Anna, uma adolescente que é mandada por seu pai para estudar na França, pois ele acredita que ela precisa ter um bom estudo, mas Anna acredita que seu pai quer puni-la, já que ele nunca dá atenção aos filhos (seus pais são separados). De cara percebemos que Anna tem problemas com o seu pai, ela não o aceita, não quer que ele opine em sua vida e ela deixa bem claro que não gosta dos romances que ele escreve, mas por outro lado, ela gosta e ajuda muito sua mãe, cuida de seu irmão pequeno e quer seguir a sua simples vida de adolescente assim, para terminar o colegial e fazer o curso que tanto deseja.

Para ajudá-la na adaptação, seus pais a levam à Paris, assistem palestras com ela, mas eles precisam ir embora e nessa despedida Anna se pega assustada e chorosa, pois nunca imaginou que iria para um país desconhecido e nem que ficaria lá sozinha! Mas por sua sorte, sua vizinha de quarto é uma fofa e muito simpática – a Meredith -, ela logo percebe que Anna é nova no colégio e vai até seu quarto para convidá-la para um chocolate quente, e é aí que a amizade das duas começa.

Anna e o beijo francês

A escrita do livro é bem leve e é uma história beeeem adolescentezinha, mas que realmente te faz querer ler o livro, eu chegava em casa depois do trabalho, do estresse e queria algo leve, algo tranquilo e esse era o livro! A escrita envolvente da Stephanie me fez querer saber mais sobre a Anna e o que iria acontecer com ela, se ela ia se enturmar, se ela iria bem nas aulas, pois ela não falava francês, e assim segui minha leitura…

Anna passou a fazer parte do circulo de amigos de Meredith, o que fez que com que ela conhecesse o St. Clair, o menino mais bonito e mais cobiçado do colégio – inclusive por sua nova amiga, Meredith. Só que Anna e St. Clair passaram a ser inseparáveis, faziam aulas juntos, tinham conversas paralelas na mesa do almoço e estavam vivendo em seu próprio mundo e se apaixonando, só que havia um problema, St. Clair tinha uma namorada, mas não era qualquer namorada, era uma namorada bela e perfeita a vista de todos – e da Anna também.

Logo Anna percebeu que não foi um erro ter ido a Paris, ela passou a conhecer lugares diferentes, teve seu primeiro porre, se apaixonou, conheceu pessoas maravilhosas, teve problemas com sua melhor amiga – que ficou na sua terra natal -, entre outros problemas de adolescentes, mas havia a dúvida, a dúvida de querer saber se St. Clair sentia o mesmo, se eles ficariam juntos, se tudo ficaria bem, e essas respostas vocês só saberão se lerem e sentirem a mesma leveza que eu tive ao ler este livro.

“É possível que lar seja uma pessoa e não um lugar? Bridge costumava ser meu lar. Talvez St. Clair seja meu novo lar.”

Talvez um dia

Escritora: Colleen Hoover ǀǀ Editora: Galera Record ǀǀ 368 Páginas ǀǀ Gênero: Young Adult ǀǀ Classificação: 3

Talvez um dia - Maybe SomedayInformações: Sydney acabou de completar 22 anos e já fez algo inédito em sua vida: socou a cara da ex- melhor amiga. Até hoje, ela não podia reclamar da vida. Um namorado atencioso, uma melhor amiga com quem dividia o apartamento… Tudo bem, até Sydney descobrir que as duas pessoas em quem mais confiava se pegavam quando ela não estava por perto. Até que foi um soco merecido. Sydney encontra abrigo na casa de Ridge. Um músico cujo talento ela vinha admirando há um tempo. Juntos, os dois descobrem um entrosamento fora do comum para compor e uma atração que só cresce com o tempo. O problema é que Ridge tem uma namorada, e a última coisa que Sydney precisa agora é se transformar numa traidora.

Opinião: Esse foi o meu primeiro contato com a Colleen Hoover e com certeza foi o que me fez me apaixonar pela sua escrita. A história é contada pelos dois protagonistas, Sidney e Ridge, e a narrativa é simples e envolvente.

Todos os dias às 20h em ponto, Sidney vai para sacada ouvir seu vizinho misterioso e charmoso tocar, e por sua vez Ridge todas as noites vai tocar na sacada para observar as caras e bocas de sua vizinha. Com o passar do tempo é visível que Sidney cria melodias para as músicas de seu vizinho e isso acaba os aproximando de tal forma que acabam se apaixonando, mas está é uma paixão que não pode acontecer, pois Ridge namora a menina dos seus sonhos e Sidney acabou de sair de um relacionamento de uma forma inesperada, e então o que fazer?

Talvez um dia - Maybe Someday

O namoro do Ridge é um namoro pra vita toda, é um relacionamento estável, palpável e durável, mas ao mesmo tempo ele estava se apaixonando por outra pessoa, esta situação nos faz pensar e repensar, principalmente nas nossas crenças e princípios, como livro me fez pensar muito e até desacreditar do que estava acontecendo, pois a namorada do Ridge não merecia passar por tal situação, umas vez que ela tinha um namorado em quem confiava. Só que ao mesmo tempo eu torcia para que algo acontecesse, pois o amor que estava surgindo entre a Sidney e o Ridge era algo puro, eles se entendiam pelo olhar, ou apenas através de uma música que compunham juntos, era algo diferente do que ambos já tiveram na vida.

Os personagens foram construídos de forma excelente, são fortes e ricos em detalhes, amei a Maggie – namorada do Ridge – desde a primeira vez que ela apareceu, sua personalidade, seu jeito, tudo foi feito para que a amássemos, e amei! Por isso da mesma forma que amei este livro, também o odiei, por causa do fim que cada personagem teve, por causa da minha instabilidade em saber com quem cada um deveria ficar. E o fato de ter trilha sonora, não me ajudou em nada, essa trilha me deixava abalada, me arrancou choros e suspiros cada vez que foi ouvida. E conforme o livro ordenava, eu lia as músicas e a história ouvindo-as e isso me abalou bastante.

Talvez um dia - Maybe Someday

A história nos traz assuntos polêmicos, nos apresenta altos e baixos, nos mostra a superação de cada personagem, mas mesmo assim não nos ajuda a aceitar o que é apresentado, por isso não posso dizer nem que gostei e que não gostei da história, mas que eu o devorei em poucos dias, ah, isso eu fiz, pois este livro me prendeu de todas as formas possíveis.