Talvez um dia

Escritora: Colleen Hoover ǀǀ Editora:…

View more

Mês: Julho

Cada vez mais o gênero…

View more

Usei… E gostei!

Aqueles dias mais frios, deixam…

View more

Mês: Julho

Os livros que irei indicar…

View more

Almondegas assadas

Ingredientes • 500 gramas de…

View more

Mês: Julho

Com a chegada das férias,…

View more

Motive-se

Mais um Motive-se para terminar…

View more

Nossos dias infinitos

Escritora: Claire Fuller ǀǀ Editora:…

View more

Mês: Junho

Junho 2018

Já falei aqui no blog sobre livros no estilo chick lit ou como é mais conhecida “Literatura para mulherzinha”, no qual as protagonistas são mulheres fortes e modernas. Hoje resolvi fazer mais algumas indicações de livros com este gênero.

1. Eu odeio te amar de Liliane Prata – Editora Gutenberg
Descrição: Débora estava prestes a viver o dia mais feliz de sua vida. Tudo estava pronto para o casamento perfeito com Felipe, o noivo mais lindo e fofo que alguém poderia ter. O apartamento estava arrumado, e todos os detalhes da lua de mel na Grécia, acertados. Até um novo emprego na redação de uma revista feminina a esperava na volta da viagem. Seria o começo de uma nova etapa de uma vida com a qual ela sempre sonhou. Na véspera da cerimônia, o noivo precisou ficar até mais tarde no escritório para resolver as últimas pendências, e ela resolveu fazer uma surpresa e aparecer sem avisar. Mas quem foi surpreendida foi ela: pegou Felipe em flagrante com a irmã do sócio, na situação mais comprometedora possível. O que fazer? Armar um escândalo e terminar tudo? Esquecer o que viu, casar e ser feliz para sempre? O que fazer quando se sente, ao mesmo tempo, um amor profundo e um ódio avassalador? Para Débora, a resposta é: criar um plano maluco para sair dessa situação e dar a volta por cima!

2. Lembra de mim? de Sophie Kinsella – Editora Record
Descrição: Lexi desperta em um leito de hospital após um acidente de carro, pensando que está em 2004, que tem 25 anos, uma aparência desleixada e um namoro desastroso. Mas, para sua surpresa, ela descobre que está em 2007, tem 28 anos, é chefe de seu departamento e sua aparência está impecável. E ainda é casada com um lindo milionário! Ela não pode acreditar na sorte que teve. Mas conforme ela descobre mais sobre a nova Lexi, nota problemas graves em sua vida perfeita. E, para completar, uma revelação bombástica pode ser sua única esperança de recuperar a memória.

3. Azar o seu! de Carol Sabar – Editora Jangada
Descrição: Parada num engarrafamento no Rio de Janeiro, Bia está pensando em sua vida azarada. O motorista do carro ao lado, tenta se comunicar com ela, mas Bia não o reconhece. Então, ele sai do carro, mas não tem tempo de se explicar, pois começa um violento tiroteio e eles se jogam lado a lado no asfalto. Certa de que está prestes a morrer, Bia entra em desespero e se prepara para dizer suas últimas palavras, na esperança de que o suposto desconhecido possa levar um recado a Guga, seu amor da adolescência, sem perceber que é ele próprio que está ali, ouvindo a inesperada declaração de amor! Os dois escapam juntos do tiroteio e, a partir daí, começam a se envolver, dia após dia. Guga, sem coragem de assumir sua verdadeira identidade, e Bia, feliz consigo mesma por finalmente estar se apaixonando por alguém que não é Guga. Nunca uma maré de azar foi tão engraçada!

4. Curvas de aprendiz de Gemma Townley – Editora Record
Descrição: A londrina Jen Bell foi abandonada pelo pai e cresceu ouvindo sua mãe descrevê-lo como um monstro. Envolvida com a luta pela ecologia, sua principal ocupação era viajar com o namorado. Quando terminam, ela volta para Londres para trabalhar na Futuro Verde, a empresa engajada da mãe. Jen logo se envolve em um plano para investigar uma suspeita de corrupção na Bell, firma bem-sucedida do pai. Mas após se infiltrar na empresa, ela descobre que todas as histórias têm dois lados.

Junho 2018

O casal que mora ao lado

Escritora: Shari Lapena ǀǀ Editora: Record ǀǀ 294 Páginas ǀǀ Gênero: Adulto ǀǀ Classificação: 3,5

O casal que mora ao ladoDescrição: Tudo começou em um jantar… Um thriller psicológico surpreendente da autora best-seller internacional Shari Lapena. É o aniversário de Graham, e sua esposa, Cynthia, convida os vizinhos, Anne e Marco Conti, para um jantar. Marco acha que isso será bom para a esposa; afinal, ela quase nunca sai de casa desde o nascimento de Cora e da depressão pós-parto. Porém, Cynthia pediu que não levassem a filha. Ela simplesmente não suporta crianças chorando. Marco garante que a bebê vai ficar bem dormindo em seu berço. Afinal, eles moram na casa ao lado. Podem levar a babá eletrônica e se revezar para dar uma olhada na filha. Tudo vai dar certo. Porém, ao voltarem para a casa, a porta da frente está aberta; Cora desapareceu. Logo o rapto da filha faz Anne e Marco se envolverem em uma teia de mentiras, que traz à tona segredos aterradores.

Opinião: A estreia de Shari com o thriller “O casal que mora ao lado” já começa com o sequestro da filha de Anne e Marco Conti, que, ao aceitarem o convite de jantar de seus vizinhos, Cynthia e Graham deixam sua filha Cora em casa sozinha e vão de 30 em 30 minutos ver se ela está bem, só que estas idas e vindas não saem como eles esperavam, assim que Anne cansa do jantar e resolve voltar para casa, a porta está entreaberta e ela corre diretamente atrás de sua filha que não está mais no berço. Tamanho é o desespero de Anne que ela chega a quebrar o vidro do espelho e só depois que eles chamam a polícia, este acontecimentos faz com que o casal pareça culpado.

Nas páginas seguintes seguimos com a investigação do caso, onde os pais de Anne acabam se envolvendo, e como sempre excluem o Marco. Esta investigação acaba desvendando segredos, mentiras e intrigas de família, mostrando várias reviravoltas e muitas mudanças de comportamento dos personagens, só que isto não nos ajuda a escolher alguém ou a suspeitar de alguém.

O casal que mora ao lado

No início fiquei muito confusa, pois não sabia se haveria um desenrolar surpreendente, já que as coisas estavam acontecendo e aparecendo tão rapidamente, cheguei a me perguntar se o livro acabaria no meio, mas a cada página virada a história mudava e era contada através do olhar de outro personagem, uma vez de Anne, depois do seu marido. Teria sido melhor se fosse narrada apenas através do olhar do detetive Rasbach, mas ele foi totalmente apagado na história e era apresentado apenas pelo o olhar dos outros personagens.

Em suma a premissa da autora é boa, mas este não se tornou um dos meus thrillers favoritos, pois ela começou bem, descobrimos o culpado no meio, há a reviravolta e depois alguns clichês, isso fez com que a história enfraquecesse e perdesse o sentido em minha opinião. Não existiu aquele impacto, aquela ansiedade para ver o desenrolar da história…

Quase casados

Escritora: Jane Costello ǀǀ Editora: Record ǀǀ 416 Páginas ǀǀ Gênero: Chick Lit ǀǀ Classificação: 4

Quase casadosDescrição: Para Zoe Moore, o dia de seu casamento foi o mais marcante de sua vida. Ou melhor, o dia em que deveria ter se casado, mas em vez disso, foi largada no altar após sete anos de namoro. Arrasada e disposta a se recuperar, ela decide se mudar de Liverpool para os Estados Unidos e trabalhar como babá. Ao chegar em Boston, ela se depara com a esperta Ruby, prestes a completar 6 anos, o adorável Samuel, que acaba de fazer 3, e o pai deles, Ryan Miller. Seu novo chefe, além de fazer uma bagunça sem precedentes e de ter um mau humor imbatível, é incrivelmente bonito. Depois de um começo um tanto decepcionante, Zoe e Ryan começam a se entender, mas ela está prestes a descobrir que recomeços podem ser mais difíceis do que esperava.

Opinião: Quando peguei o livro achei que fosse estilo Marian Keys, e realmente era muito parecido, mas me fez gostar mais do que dos livros da Marian, pois não foi massante e a história me fez querer saber o que aconteceria na vida da Zoe rapidamente.

O livro já começa com a Zoe deprimida por ter sido largada no altar, ela mal quer ver as pessoas, não quer conversar e só come, por isso acaba engordando um pouco, então cansada de sua vida, de sua mãe super protetora e de sua cidade, ela resolve embarcar para os Estados Unidos trabalhar de babá, só que o problema é que a Zoe nunca havia viajado, muito menos saído de sua cidade.

Logo de cara a protagonista mostra que é engraçada e estabanada – fato que fez-me identificar muito com a Zoe, rs. Tudo dá errado na vida de Zoe, a caminho dos Estados Unidos a empresa que a contratou liga e diz que ela não vai mais para lá e sim para Boston, ficar com outra família e ela já chega em Boston toda atrapalhada, comete uma gafe com seu novo chefe, o Ryan Miller, e conhece seus filhos, Ruby e Samuel.

A primeira vista Ryan é lindo, porém é um conquistador barato, que sai com uma e com outra e ainda não tem tempo para ficar com seus filhos, fazendo com que a babá fique 24 horas e 7 dias por semana com seus filhos, e isso acaba tirando a Zoe do sério, mas não a impede de ter uma quedinha por seu chefe e de tentar arrumar a vida das crianças. E é nesta hora que a história clichê começa, mas com uma pitada de humor e muito desastre.

Quase casados

Conforme a história vai fluindo conhecemos mais sobre o Ryan Miller, descobrimos o motivo dele ser como é, e aprendemos a gostar dele – além de sua beleza – e a desejar que as coisas mudem para ele, que ele realmente encontre uma mulher boa e legal para a vida dele e das crianças.

Desde o início o final já fica claro, mas eu realmente gostei do livro e da Zoe, que ao meu ver é ingênua com relação a algumas coisas, não se por ter ficado 7 anos com o mesmo cara, ou por nunca ter saído de sua cidade, mas acho que tal ingenuidade que fez com o que o livro fosse bom, mas também o fato de Zoe estar sempre caindo, rolando as escadas, tropeçando – tão eu! – e falando algo errado na hora errada, esses episódios me faziam rir muito e tornavam a leitura mais envolvente.

Quase casados

No quesito chick lit este é um excelente livro, com uma escrita leve e cheio de humor!

Mês: Abril

Abril 2018

Que tal uns livros de suspense para alegrar o mês de abril?

1. Entre quatro paredes de B.A. Paris – Editora Record
Descrição: O casamento perfeito ou a mentira perfeita?
Grace é a esposa perfeita. Ela abriu mão do emprego para se dedicar ao marido e à casa. Agora prepara jantares maravilhosos, cuida do jardim, costura e pinta quadros fantásticos. Grace mal tem tempo de sentir falta de sua antiga vida. Ela é casada com Jack, o marido perfeito. Ele é um advogado especializado em casos de mulheres vítimas de violência e nunca perdeu uma ação no tribunal. Rico, charmoso e bonito, todos se perguntavam por que havia demorado tanto a se casar. Os dois formam um casal perfeito. Eles estão sempre juntos. Grace não comparece a um almoço sem que Jack a acompanhe. Também não tem celular, que ela diz ser uma perda de tempo. E seu e-mail é compartilhado com Jack, afinal, os dois não guardam segredos um do outro. Parece ser o casamento perfeito. Mas por que Grace não abre a porta quando a campainha toca e não atende o telefone de casa? E por que há grades na janela do seu quarto? Às vezes o casamento perfeito é a mentira perfeita.

2. Boneco de pano de Daniel Cole – Editora Arqueiro
Descrição: O polêmico detetive William Fawkes, conhecido como Wolf, acaba de voltar à ativa depois de meses em tratamento psicológico por conta de uma tentativa de agressão. Ansioso por um caso importante, ele acredita que está diante da grande chance de sua carreira quando Emily Baxter, sua amiga e ex-parceira de trabalho, pede a sua ajuda na investigação de um assassinato. O cadáver é composto por partes do corpo de seis pessoas, costuradas de forma a imitar um boneco de pano. Enquanto Wolf tenta identificar as vítimas, sua ex-mulher, a repórter Andrea Hall, recebe de uma fonte anônima fotografias da cena do crime, além de uma lista com o nome de seis pessoas – e as datas em que o assassino pretende matar cada uma delas para montar o próximo boneco. O último nome na lista é o de Wolf. Agora, para salvar a vida do amigo, Emily precisa lutar contra o tempo para descobrir o que conecta as vítimas antes que o criminoso ataque novamente. Ao mesmo tempo, a sentença de morte com data marcada desperta as memórias mais sombrias de Wolf, e o detetive teme que os assassinatos tenham mais a ver com ele – e com seu passado – do que qualquer um possa imaginar.

3. O livro dos espelhos de E. O. Chirovici – Editora Record
Descrição: Quando o agente literário Peter Katz recebe por e-mail um manuscrito parcial intitulado O livro dos espelhos, ele fica intrigado. O autor, Richard Flynn, descreve seus dias em Princeton, e documenta sua relação com Joseph Wieder, um renomado psicólogo, pesquisador e professor. Convencido de que o manuscrito completo vai revelar quem assassinou Wieder em sua casa, em 1987 — um crime noticiado em todos os jornais mas que jamais foi solucionado —, Peter Katz vê aí sua chance de fechar um negócio de um milhão de dólares com uma grande editora. O único inconveniente: quando Peter vai atrás de Richard, ele o encontra à beira da morte num leito de hospital, inconsciente, e ninguém mais sabe onde está o restante do original. Determinado a ir até o fim neste projeto, Peter contrata um repórter investigativo para desenterrar o caso e reconstituir o crime. Mas o que ele desenterra é um jogo de espelhos, uma teia de verdades e mentiras, e uma trama mais complexa e elaborada que a do primeiro lugar na lista de mais vendidos dos livros de ficção.

4. Um plano quase perfeito de Petra Hammesfahr – Editora Tordesilhas
Descrição: Funcionária de um salão de beleza, a ambiciosa Kerstin atende clientes que têm uma vida luxuosa, bem diferente da sua. Dia após dia, cresce sua cobiça por uma riqueza muito além de seu alcance. Mas uma virada do acaso dá a ela a oportunidade ideal para conseguir tudo com que sempre sonhou. E essa oportunidade tem nome: Regine Sartorius, única beneficiária de um rico empresário à beira da morte, uma herdeira jovem, ingênua e apaixonada.

Abril 2018

O Projeto Rosie

O Projeto RosieInformações: Publicado pela primeira vez em 30 de janeiro de 2013 pela Editora Record, este livro foi escrito por Graeme Simsion e teve sua capa reformulada para acompanhar a continuação do livro (embora eu preferisse a primeira capa, rs). Número de páginas: 319.

Classificação: Young Adult

Descrição: Perto de completar 40 anos, o peculiar professor de genética Don Tillman havia desistido do amor. Para acompanhar sua rotina severamente cronometrada, com esquema de refeições padronizadas, um cronograma para a execução de cada compromisso (inclusive para a prática de exercícios físicos antes de dormir) e lidar com sua falta de habilidade social, só mesmo a mulher perfeita. E ele já sabe como encontra-la. Ou pelo menos acha que sabe. Ele desenvolve o projeto Esposa Perfeita, um questionário meticuloso que irá ajudá-lo a selecionar candidatas adequadas a seu estilo de vida. Mas quando Don conhece a jovem Rosie ele descobre que nem tudo na vida pode ser programado… e que o amor pode, de repente, vir a seu encontro.

Opinião: Don Tillman está prestes a completar 40 anos e se vê pronto para um relacionamento, e como os números nunca erram, ele resolve  selecionar sua futura esposa através de um teste, pois se tem algo que Don é excelente e realmente domina é a arte da matemática, da lógica – seja com relação as ciências humanas ou exatas.

Por ser este ser tão peculiar, Don tem seu dia a dia todo controlado, desde a hora de acordar até a hora de dormir, e quanto tempo levará para fazer cada coisa da sua rotina, como: o tempo necessário para se lavar um banheiro, para fazer exercícios, quanto tempo leva de sua casa até o trabalho de bicicleta, mas toda essa rotina não tem hora para imprevistos, pois imprevistos não são aceitáveis ao ver de Don, já que todas as semanas são programadas e executadas da mesma forma.

Mesmo sendo um homem metódico e que não sabe se relacionar com as pessoas, Don possui um casal de amigos que o aceitam do modo que ele é, e ainda dão conselhos a ele sobre relacionamento, as vezes ainda resolvem agir como cupidos e arrumar uns encontros para ele – que nunca dão certo, mas nos fazem  rir muito.

O Projeto Rosie

Conhecer o Don me abriu os olhos, principalmente porque existem pessoas que realmente são semelhantes a ele e vivem no próprio mundo, tendo a mesma rotina diária e sendo metódicos, mas o livro me fez ansiar para que algo o tirasse dessa rotina – porque eu me considero metódica, mas o Don extrapolou o nível rs. A cada página virada eu ficava a espreita de alguém aparecer e tirá-lo desta vida, e eis que surgiu a Rosie, uma mulher totalmente sem regras, sem rotina, faz tudo o que vem na cabeça e têm um trabalho totalmente inaceitável ao ver de Don – ela trabalha em um bar a noite.

A relação que eles passam a construir é totalmente diferente de qualquer uma já vista, pois Rosie não muda a vida de Don, na verdade ambos mudam a vida um do outro, é uma troca mútua, um desafia o outro, um aparece sem avisar o outro, e mesmo Rosie não tendo as qualificações necessárias do teste de 17 páginas de Don, ele ainda assim se sente atraído por ela e passa a desenvolver sentimentos que anteriormente ele não havia conhecido ou despertado durante esses 40 anos de vida. Esse desenrolar me fez rir muitas vezes, pois o Don não é um cara igual a qualquer um, ele fala coisas como se fosse um computador, ele sempre está pensando de forma lógica e racional, ele nunca se deixa abalar e até mesmo não é de demonstrar seus sentimentos, já a Rosie, fala o que pensa, faz o que deseja, eles realmente são como a água e o vinho.

O Projeto Rosie

Este livro aborda o tema sobre as expectativas com relação a “pessoa perfeita” que criamos de forma leve e bem fluida, pois Don e Rosie têm cada um suas expectativas diferentes, porém acabam se envolvendo e mudando um ao outro, eles passam a aceitar e diminuir essas expectativas, pois não existe ninguém perfeito o que precisamos é aceitar as pessoas como elas são e deixar a vida fluir e os sentimentos aparecerem, se assim for.

Desde o início me apeguei ao livro, pois cada página virada era engraçada, porque Don com esses trejeitos e manias me fez rir bastante e me encantar com a escrita do Graeme, na hora que Rosie entra em cena me apaixonei mais ainda e a leitura me envolveu mais e deslanchou rapidamente.

– Você me acha atraente? (…)

– Na verdade não prestei atenção – respondi para a mulher mais linda do mundo.