Anna e o beijo francês

Escritora: Stephanie Perkins ǀǀ Editora:…

View more

Usei… E não gostei!

O protetor solar facial é…

View more

Mês: Novembro

Este mês vamos de livros…

View more

Mês: Outubro

As últimas dicas infanto-juvenil para…

View more

Motive-se

Ahhhh… Como eu amo o…

View more

Mês: Outubro

E o mês das crianças…

View more

Usei… E gostei!

Sabe qual é o melhor…

View more

Rocambole de carne moída com purê de batatas

Ingredientes do rocambole • 1…

View more

Mês: Fevereiro

Fevereiro 2018

Romance… romance e romance… Porque gosto de todos os gêneros, mas toda vez que vejo minha estante ou vou escolher um livro para comprar, me deparo apaixonada por mais um romance!!!!
Então… Mais quatro dicas de romances leves e lindos ♥

1. A garota das sapatilhas brancas de Ana Beatriz Brandão – Editora Verus
Descrição: Ele foi o farol que a salvou da escuridão. Ela devolveu as cores ao mundo dele. Da mesma autora de O garoto do cachecol vermelho. Daniel Lobos vive a vida plenamente. Dono de um coração enorme, o jovem divide seu tempo entre duas paixões: a música e as causas sociais. Até que seu caminho cruza o de Melissa, uma bailarina preconceituosa e mesquinha, que põe à prova aquilo em que ele mais acredita: que todo mundo merece uma segunda chance. Este romance mostra, através das lembranças de diversos personagens já conhecidos em O garoto do cachecol vermelho e amados pelo leitor, como as nossas decisões podem afetar o nosso destino. Respire fundo e venha descobrir o que levou Daniel a ter tanta fé em Melissa, quando ninguém mais acreditava nela. Toda história tem dois lados, e agora é a vez de conhecer a do garoto do cachecol vermelho.

2. Bela gratidão de Corey Ann – Editora Galera Record
Descrição: Um romance sobre amadurecimento e a dureza de crescer em uma cultura que exige das mulheres nada menos que a perfeição.
Corey Ann Haydu explora as complexidades da família, os limites do amor e quão duro é crescer em uma cultura que premia a beleza acima de qualquer outra coisa e cobra das mulheres nada menos que a perfeição. Uma leitura atual que dialoga direta e honestamente com a multiplicidade de questões enfrentadas por adolescentes e jovens no mundo todo – a confusão do primeiro amor, os dramas familiares e a construção da própria identidade no meio de toda essa loucura. O livro está cheio de personagens realistas, que tropeçam nos próprios medos e cometem erros com alguns dos quais é impossível não se identificar. Montana e sua irmã Arizona têm um pacto desde que a mãe as deixou: São elas duas contra todo o mundo. Com o pai sempre imerso em relacionamentos tóxicos e uma sucessão de madrastas essa foi a maneira que encontraram de seguir em frente. Mas agora que Arizona foi para a faculdade Montana se sente deixada pra trás e perdida, mergulhando em uma amizade vertiginosa e empolgante com a ousada Karissa. No meio disso tudo, Montana encontra uma distração em Bernardo. Resta saber se Montana têm a confiança necessária no que sentem um pelo outro para encaixar Bernardo na sua vida imperfeita.

3. O primeiro dia do resto da nossa vida de Kate Eberlen – Editora Arqueiro
Descrição: Tess e Gus foram feitos um para o outro. Só que eles não se encontraram ainda. E pode ser que nunca se encontrem… Tess sonha em ir para a universidade. Gus mal pode esperar para fugir do controle da família e descobrir sozinho o que realmente quer ser. Por um dia, nas férias, os caminhos desses dois jovens de 18 anos se cruzam antes que os dois retornem para casa e vejam que a vida nem sempre acontece como o planejado. Ao longo dos dezesseis anos seguintes, traçando rumos diferentes, cada um vai descobrir os prazeres da juventude, enfrentar problemas familiares e encarar as dificuldades da vida adulta. Separados pela distância e pelo destino, tudo indica que é impossível que um dia eles se conheçam de verdade… ou será que não? “O primeiro dia do resto da nossa vida” narra duas trajetórias que se entrelaçam sem de fato se tocarem, fazendo o leitor se divertir, se emocionar e torcer o tempo todo por um encontro que pode nunca acontecer.

4. É cada coisa que escrevo para dizer que te amo de Lucão – Editora Benvirá
Descrição: Às vezes, as palavras do dicionário parecem não ser suficientes para explicar sentimentos tão intensos e verdadeiros como o amor e a saudade, mas Lucão tem o dom de misturá-las de um jeito tão excepcional, que consegue dar explicações perfeitas para o coração. Escreve em poesia os sentimentos que muitas pessoas não conseguem escrever ou falar em língua alguma.
Em “É cada coisa que escrevo só pra dizer que te amo”, Lucão traz versos inéditos e faz uma compilação das melhores frases e poemas que publicou em seu blog – Abra o bico – ao longo de 10 anos. Nestas páginas há muitas facetas do poeta que nunca recusa um grande amor.

Fevereiro 2018

A pequena livraria dos corações solitários

Livro I da série

A pequena livraria dos corações solitáriosInformações: Este é o primeiro livro da série “Livraria dos corações solitários” escrito por Annie Darling. Foi publicado pela Editora Verus em 29 de maio de 2017. Número de páginas: 304.

Classificação: Adulto

Descrição: Era uma vez uma pequena livraria em Londres, onde Posy Morland passou a vida perdida entre as páginas de seus romances favoritos. Assim, quando Lavinia, a excêntrica dona da Bookends, morre e deixa a loja para Posy, ela se vê obrigada a colocar os livros de lado e encarar o mundo real. Porque Posy não herdou apenas um negócio quase falido, mas também a atenção indesejada do neto de Lavinia, Sebastian, conhecido como o homem mais grosseiro de Londres. Posy tem um plano astucioso e seis meses para transformar a Bookends na livraria dos seus sonhos — isso se Sebastian deixá-la em paz para trabalhar. Enquanto Posy e os amigos lutam para salvar sua amada livraria, ela se envolve em uma batalha com Sebastian, com quem começou a ter fantasias um tanto ardentes. Resta saber se, como as heroínas de seus romances favoritos, Posy vai conseguir o seu “felizes para sempre”. O primeiro livro da série A Livraria dos Corações Solitários!

Opinião: A temática do livro já me encantou apenas porque a história acontecia em uma livraria ♥ Me diz qual é o leitor que não ama uma história narrada em uma livraria, cheia de citações de outros livros e ainda que contém indicações de leitura!!!

Logo de início conhecemos a história da livraria Bookends, que é passada de geração em geração – Lavínia herdou de sua mãe Agatha – e que ainda fez com que surgisse novos escritores para o mundo literário. Annie Darling traz Posy como protagonista e amante de livros, ela vive no apartamento em cima da Bookends desde que se conhece por gente, e mesmo com o falecimento de seus pais, Lavínia sede o apartamento para Posy viver com seu irmão Sam, por isso ela passa a trabalhar período integral na livraria como vendedora, até a morte de Lavínia. Com a perda de Lavínia e o reaparecimento de seu neto Sebastian, Posy passa a ter várias preocupações como: onde eles deverão morar, se a livraria será vendida, etc. Até que Sebastian a leva ao advogado e ela descobre que agora é a proprietária da Bookends, pois Lavínia a deixou como herança para Posy, porém há uma cláusula que diz que Posy tem dois anos para fazer com que a Bookends volte a ter sucesso, e caso ela não consiga a livraria será passada para Sebastian.

Enfim a história começa… Agora Posy terá que correr contra o tempo e com poucos recursos, pois a livraria está quase falida, e ela terá que reinventá-la para que ela novamente seja uma livraria de sucesso e que realmente gere lucros para ela poder ter uma boa vida e possa pagar seus inusitados funcionários.

A pequena livraria dos corações solitários

O livro é contado em terceira pessoa, é sempre bem humorado, alegre e contém uma ironia sutil, o que faz com que a história flua de forma leve e engraçada, além disso contém partes de um livro que a Posy passa a escrever no tempo da regência e que envolve Sebastian como protagonista.

Há vários pontos que me instigaram a ler cada vez mais o livro, mas o maior deles foi a escrita convidativa e aconchegante da escritora, cada vez que eu lia, me surpreendia, pois se passavam 20, 40, 60 páginas e eu nem percebia, tamanha leveza que há na escrita. Outra coisa que fez-me apaixonar pelo livro foi a história de vida de Posy, ela perdeu seus pais e passou a ser a tutora legal do seu irmão mais novo, Sam, e por causa disso criei um vinculo muito grande com ela e sempre me colocava no lugar dela, principalmente quando ela refletia que tinha que fazer compras de roupas ou sapatos para seu irmão – eu tenho um irmão adolescente e sei o quanto é difícil conseguir agradá-los e isso realmente fez-me enxergar e me por no lugar de Posy.

A pequena livraria dos corações solitários

As provocações realizadas por Sebastian voltadas a Posy, e o modo como ele se refere as pessoas, foi o auge do livro, pois é visível que ele é mimado e não sabe ouvir um não como resposta. Toda essa trama e essas faíscas que saiam deles quando estavam um perto do outro me arrancavam sorrisos, risadas e até mesmo suspiros.

“Que sorte a minha ter algo que torna tão difícil dizer adeus”, Sebastian declarou, e só alguém que o conhecesse tão bem quanto Posy poderia perceber a falha em sua voz…

Com certeza este é um livro para se ter na cabeceira da cama, para fugir do dia a dia estressante e da rotina caótica que temos aqui em São Paulo, cada palavra, cada frase me encantou e me apaixonou, e por isso estou ansiosa para os demais livros desta série que falará sobre cada um dos funcionários da Bookends.

A lista de Brett

A lista de BrettInformações: Este livro foi escrito pela Lori Nelson Spielman e publicado pela Editora Verus, lançado em 2013 aqui no Brasil, é uma literatura estrangeira e seu gênero é chick-lit. Número de páginas: 364.

Descrição: Brett Bohlinger parece ter tudo na vida – um ótimo emprego como executiva de publicidade, um namorado lindo e um loft moderno e espaçoso. Até que sua adorada mãe morre e deixa no testamento uma ordem: para receber sua parte na gorda herança, Brett precisa completar a lista de sonhos que escreveu quando era uma ingênua adolescente.
Deprimida e de luto, Brett não consegue entender a decisão de sua mãe. Seus desejos adolescentes não têm nada a ver com suas ambições de agora, aos trinta e quatro anos. Alguns itens da lista exigiriam que ela reinventasse sua vida inteira. Outros parecem mesmo impossíveis. Com relutância, Brett embarca numa jornada emocionante em busca de seus sonhos de adolescência.

Opinião: Eu senti uma vontade súbita de lê-lo assim que o avistei, pois sua capa é encantadora, porém acabei não comprando de primeira instância, mas claro que li a contracapa para saber um pouco sobre a história que continha no livro de capa bonita (rs) e me interessei não apenas pela capa, mas pelo todo.

Um dia eu estava namorando os livros na Livraria Saraiva e meu namorado resolveu me dar um livro, mas eu não queria escolher, queria que ele escolhesse e conhecesse o livro que eu leria, por isso dei 3 opções e ele escolheu “A lista de Brett” e ele acertou em cheio, pois o livro é fofo e tem uma história bem escrita.

A lista de Brett

O livro aborda um assunto que é comum, até mesmo visto como clichê: a mãe morre e deixa uma lista para a filha seguir e ela consegue realizar a lista sem nenhum problema… Mas não é bem assim que acontece neste livro a Lori escolheu uma história clichê e encaminhou a história de uma forma diferente.

O modo como a lista da adolescência da Brett foi apresentada a ela, como ela deveria realizá-la e que ao final de cada realização ela receberia uma carta escrita pela mãe, foi ótima, mas claro a Brett não se sentiu nenhum um pouco confortável, pois ela já havia anunciado para o seu namorado que ela seria a próxima presidente da empresa da sua mãe e ela vinha até se preparando para isto. Então imagina, sua mãe milionária morreu, repartiu toda herança entre seus irmãos e você não recebeu absolutamente nada e a sua cunhada recebeu o título de presidente da empresa. E ao contrário do que você imaginava apenas recebeu uma lista na qual você hoje em dia acha estúpida, devido ao fato de ter crescido e mudado totalmente suas aspirações.

Claro que a Brett assim que recebeu a notícia ficou pasma e não acreditava e a cada minuto em que o Sr. Middar lia a carta de apresentação da lista, Brett ficava mais chocada, pensando que seria impossível, mas achava que uma já estava concluída. Mas conversando com o Sr. Middar resolveram esperar mais um pouco e verem se realmente estava concluída e assim ela embarcou na lista a ser cumprida, com dificuldade e sem achar que realmente conseguiria completar toda a lista.

A lista de Brett

A escrita da Lori é muito leve e eu realmente me senti envolvida do começo ao fim, pois eu li ele muito rápido – em uma semana -, não consegui parar de lê-lo e queria saber como ela resolveria as coisas, tanto com o seu namorado, com suas amigas e seu coração. Mas alguns meios de conseguir realizar a lista as vezes me passava a impressão de terem sido muito inimagináveis, mas isso não me fez desistir do livro, porque para mim isso foi o de menos, porque eu estava tão envolvida com a Brett e com as mudanças que ela