Livro: O Sol é para todos

Informações: Escrito pela…

View more

Usei… E gostei

Mais uma nova…

View more

Livro: O Orfanato da Srta. Peregrine

Informações: É um…

View more

Projeto de Leitura

Desde o ano…

View more

Mês: Março

Sei que faz…

View more

Brincando na cozinha: Pão de minuto

Esta receita além…

View more

Dica de livro: Menina má

Informações: É um romance…

View more

Mês: Agosto

Um novo mês…

View more

Mês: Março

Mês Março

Sei que faz muito tempo que não posto e ando devendo muiiiiitos posts, por causa disso, mas no segundo semestre de 2016, as coisas ficaram bem mais puxadas e devagarzinho vou voltar a ativa pessoal.

Para iniciar resolvi fazer dicas para o mês de março, as dicas são bem aleatórias, são livros que li desde agosto até agora e que roubaram meu coração e me deixaram ansiosa para chegar ao final da história.

1. O orfanato da Srta. Peregrine de Ransom Riggs – Editora Leya
Descrição:  A história começa com uma tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares. Elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo. E, de algum modo – por mais impossível que possa parecer – ainda podem estar vivas.

2. Não se enrola, não de Isabela Freitas – Editora Intrínseca
Descrição: A vida de Isabela dá uma completa reviravolta depois do sucesso de seu blog, Garota em Preto e Branco. Decidida a perseguir seus sonhos, ela abandona o curso de direito, deixa a casa dos pais, em Juiz de Fora (MG), e se muda para São Paulo tão logo conquista um emprego numa badalada revista on-line. Enquanto se adapta aos novos tempos numa quitinete no Baixo Augusta, Isabela escreve seu primeiro livro. Seria perfeito se no apartamento em frente não morasse o envolvente Pedro Miller e os dois não se embolassem regularmente sob o mesmo lençol. Não, não é namoro. Não, não é apenas amizade. É algo muito mais enrolado, um relacionamento sem um nome definido. Um “isso”, como diz a personagem. Embora não tenha coragem de confessar seus sentimentos, Isabela sabe que está perdidamente apaixonada pelo seu melhor amigo. Após Não se apega, não e a sequência, Não se iluda, não, Isabela Freitas mostra neste Não se enrola, não os primeiros passos de seus personagens na vida adulta, com toda a independência e as responsabilidades que ela proporciona.

3. Quarto de Emma Donoghue – Editora Best Seller
Descrição: Para Jack, um esperto menino de 5 anos, o quarto é o único mundo que conhece. É onde ele nasceu e cresceu, e onde vive com sua mãe, enquanto eles aprendem, leem, comem, dormem e brincam. À noite, sua mãe o fecha em segurança no guarda-roupa, onde ele deve estar dormindo quando o velho Nick vem visitá-la.
O quarto é a casa de Jack, mas, para sua mãe, é a prisão onde o velho Nick a mantém há sete anos. Com determinação, criatividade e um imenso amor maternal, a mãe criou ali uma vida para Jack. Mas ela sabe que isso não é suficiente, para nenhum dos dois. Então, ela elabora um ousado plano de fuga, que conta com a bravura de seu filho e com uma boa dose de sorte. O que ela não percebe, porém, é como está despreparada para fazer o plano funcionar.

4. O sol é para todos de Harper Lee – Editora José Olympio
Descrição: Um livro emblemático sobre racismo e injustiça: a história de um advogado que defende um homem negro acusado de estuprar uma mulher branca nos Estados Unidos dos anos 1930 e enfrenta represálias da comunidade racista. O livro é narrado pela sensível Scout, filha do advogado. Uma história atemporal sobre tolerância, perda da inocência e conceito de justiça. ‘O Sol é Para Todos’, com seu texto “forte, melodramático, sutil, cômico” (The New Yorker) se tornou um clássico para todas as idades e gerações.

Mês: Março

 

Espero que vocês gostem dessas indicações, pois ando lendo pouco, mas cada leitura está sendo bem curtida e aproveitada de todas as maneiras.

Os preferidos de 2015

Depois de lhes apresentar as minhas decepções, vamos para a parte boa, que são os meus preferidos, que me arrancaram suspiros, choros, dúvidas, me fizeram refletir e até me deixaram com depressão pós leitura.

1- Maybe Someday  da Collen Hoover

Não tenho nem palavras para descrever este livro, de tão fofo e encantador. Ele ainda não foi lançado no Brasil, mas uma leitora do instagram me passou por e-mail e quem quiser, pode deixar o e-mail nos comentários que eu envio 😉 Mas voltando ao livro… Ele tem uma trilha sonora que acabou com as minhas estruturas, fui lendo e ouvindo-a e isso me deixou mais sensibilizada pela história e foi aí que passei a caçar mais livros da Collen, rs.

Melhores

2- Para todos garotos que já amei da Jenny Han

Que romance fofo! Do início ao fim a Lara Jean me conquistou com suas atitudes e suas mudanças de personalidade e fora que me apaixonei pelo Peter. O livro possui uma escrita envolvente e cativante, pois as situações que acontecem chegam a serem engraçadas, pois a Lara Jean passa a se envolver em cada situação fora da sua zona de conforto que me fez devorar o livro rapidamente e ao mesmo tempo lê-lo devagar para não acabar logo. Mas em janeiro será lançada a continuação não vejo a hora!

Melhores

3- Mentirosos de E. Lockhart

Que livro foi esse? Não tenho muito o que dizer e nem posso, senão acabarei com todo o suspense que há na história. Mas só digo uma coisa… Todos devem ler este livro! E há uma frase no livro que diz tudo o que senti ao finalizar esta leitura: “Não existe uma palavra no Scrabble para descrever como me sinto…”

Melhores

4- Não se apega, não da Isabela Freitas

Vou confessar que me apaixonei primeiramente pela capa (mais uma vez deixando as capas me influenciarem), mas essa não foi uma decepção. Devorei esse livro tão rápido que nem eu mesma acreditei, a escrita da Isabela é simplesmente muito envolvente e me identifiquei muito com a história e o desapego em geral (já escrevi sobre este livro aqui no blog). Eu ri, chorei, suspirei, fiquei brava e me senti deprimida junto com a protagonista e isso me cativou do início ao fim, fora as frases que são ótimas. Enfim o livro vale mais do que a pena ser lido!

Melhores

5- Objetos cortantes da Gillian Flynn

Me apaixonei pela Gillian assim que li o livro “Garota Exemplar” que mudou totalmente minha opinião sobre thrillers psicológicos e me fez ficar fascinada pela sua escrita. O livro possui uma excelente escrita, desenvolvimento e um desfecho de cair o queixo, por isso se tornou um dos meus favoritos e ela uma das minhas escritoras preferidas.

Melhores

Bem estes foram os meus livros preferidos, que abalaram totalmente minhas estruturas em todos os sentidos, por isso vim aqui compartilhar com vocês e realmente indicá-los, pois todos acima devem ser lidos em algum momento da vida.

Melhores

Se você já leu algum livro da lista acima ou pretende ler, deixe seu comentário, vou amar saber 😀

Dica de livro: Não se apega, não

Sexta-feira véspera de final de semana longo, por causa do feriado de finados na segunda-feira e nada melhor do que uma dica de livro para estes três dias preguiçosos, pois está um pouco frio aqui em São Paulo e acho que irei hibernar se o sol não sair e nos esquentar, rs.

Vamos para a dica de livro de hoje…

Não se apega, não

Não se apega nãoInformações: O livro foi escrito pela blogueira Isabela Freitas e publicado pela Editora Intrínseca em 2014. Número de páginas: 256.

Classificação: New Adult

Descrição: Tudo começa com um ponto-final: a decisão de terminar um namoro de dois anos com Gustavo, o namorado dos sonhos de toda garota. As amigas acharam que Isabela tinha enlouquecido, porque, afinal de contas, eles formavam um casal PER-FEI-TO! Mas por trás das aparências existia uma menina infeliz, disposta a assumir as consequências pela decisão de ficar sozinha. Estava na hora de resgatar o amor-próprio, a autoconfiança e entrar em contato com seus próprios desejos.

Parece fácil, mas atrapalhada do jeito que é, Isabela precisa primeiro lidar com o assédio de um primo gostosão, das tentações da balada e, principalmente, entender que o príncipe encantado é artigo em falta no mercado.

Isabela Freitas, em seu primeiro livro, narra os percalços vividos por sua personagem para encarar a vida e não se apegar ao que não presta, ainda assim, preservando seu lado romântico.

Desapegar: remover da sua vida tudo que torne o seu coração mais pesado. Loucos são os que mantêm relacionamentos ruins por medo da solidão. Qual é o problema de ficar sozinha? Que me desculpe o criador da frase “você deve encontrar a metade da sua laranja”. Calma lá, amigo. Eu nem gosto de laranja. O amor vem pros distraídos.

Opinião: Minha prima estava lendo-o, mas eu confesso que por causa do título eu criei um pré-conceito, achando que era um livro de autoajuda, mas assim que minha prima terminou sua leitura e disse que havia uma história e que era muito legal, resolvi dar um voto de confiança para o livro. Comprei, pois sua capa é linda e logo iniciei minha leitura.

Não se apega não

Logo de inicio me senti atraída principalmente pelas regras do desapego, pois eu estava passando por uma fase em que estava necessitando desapegar de umas pessoas (“amigas”) e coisas, e por isso a leitura deslanchou rapidamente. Ao ver a Isabela enfrentar um término de namoro que não deu certo me chamou atenção, pois é diferente de qualquer outro livro, pois já começou, digamos que pelo final da história e ela conta com sua sinceridade e carência a mil seus problemas pessoais.

A história inicia com o término do namoro de 2 anos da Isabela, no qual suas amigas achavam que o namorado dela era o “príncipe”, mas na verdade não era um bom namorado para a Isabela. E este término lhe rendeu julgamentos, pois ninguém entendia o porque de um rompimento com o cara dos sonhos de qualquer mulher e com esses julgamentos a Isabela começa suas reflexões sobre porque insistiu tanto tempo em um namoro em que não estava feliz.

Não se apega não

Durante a história há muitas reflexões, desde relacionamentos até amizades e isso me fez refletir e realmente pensar na minha vida, assim como a Isabela estava pensando na dela.

O livro é narrado pela própria personagem, Isabela, e ela escreve sua história com bom humor, até seus dramas as vezes nos fazem rir. Apesar de abordar um tema triste, a Isabela escreve com muita leveza os seus conflitos e é tudo bem escrito e possui uma leitura fácil.

Não se apega não

Sendo seu primeiro livro acredito que Isabela conquistou mais fãs além dos que já tinha, por causa da temática e por trazer conflitos em que toda menina/mulher já passaram. Isto dá um tom de autoajuda ao livro e a leitura me fez parecer mais como conselhos dados por uma amiga e acabei quebrando aquele pré-conceito que eu havia criado antes mesmo de lê-lo e o livro acabou se tornando um dos meus favoritos.

Recomendo o livro a todos, pois sempre conhecemos alguém que passa pela mesma situação ou que é bem carente e apegada(o), e claro… Toda leitura sempre é bem vinda, ainda mais de gêneros diferentes como este que mescla o romance e o autoajuda.

Espero que tenham gostado e aproveitem bem o longo final de semana realizando uma excelente leitura! Se você já leu este livro deixe sua opinião aqui nos comentários.