Mês: Janeiro

Como ainda estamos…

View more

O casal que mora ao lado

Escritora: Shari Lapena…

View more

Mês: Janeiro

Os livros de…

View more

A pequena livraria dos corações solitários

Livro I da…

View more

O Projeto Rosie

Informações: Publicado pela…

View more

Usei… E gostei

Sabe aquele dia…

View more

Você sabia?

Agora é oficial!…

View more

Mês: Dezembro

Não sei vocês,…

View more

Como ajudar as crianças a entenderem a matemática

Nós, adultos, temos dificuldade em alguma área da matemática, imaginem as crianças…

Mês passado fiz um curso sobre matemática cujo o nome era “Construindo e compreendendo as ações e operações matemáticas”. Este curso me abriu muito os olhos, principalmente com relação as operações mais simples. Aos poucos vou vir compartilhar com vocês o que aprendi, mas hoje vou falar um pouco sobre a dificuldade que as crianças tem em desenvolver as contas e as situações problemas mais simples da matemática.

As crianças de hoje em dia são diferentes das de antigamente, pois hoje em dia os estudos estão mais avançados, a criação é diferente, as crianças estão mais espertas, principalmente com relação as tecnologias e estão sempre em busca de mais, por isso devemos sempre nos reinventar e traçar novos métodos para podermos ter a atenção das crianças e poder fazer com que compreendam a matéria.

Antigamente tínhamos que aprender na raça, ou apenas decorar, principalmente quando o assunto era TABUADA – ninguém nem conseguia ouvir o nome sem ficar estressado, rs. Não explicavam para a gente o porque, qual era o objetivo e para que servia, mas hoje com muitos estudos, principalmente na área da neurociência, vemos qual a importância de se passar tais informações para as crianças e vemos quão diferente é a aprendizagem assim que você passa a explicar melhor, ao invés de impor e querer que a criança apenas decore.

A primeira dica valiosa que aprendi no meu curso de matemática foi que, tudo que for apresentado para as crianças, primeiro elas precisam ter o contato com o concreto, pois para ela é muito abstrato apenas ter que fazer uma operação ou até mesmo uma situação problema, por isso tudo primeiro tem que ser trabalhado com o concreto (ficou redundante, mas é para dar muita enfase na necessidade da criança de tocar e olhar o material), com a construção. É rico e de grande ajuda para a criança se o que for trago estiver relacionado com o dia a dia da classe, pois além de concreto a criança também está familiarizada com o assunto.

Muitas vezes queremos passar logo a matéria, porque o prazo dos livros/ apostilas estão se excedendo e temos um prazo para terminá-los, mas não adianta darmos a matéria de qualquer jeito, temos que focar num bom aprendizado e levar em conta que cada aluno tem o seu tempo e precisa realizar a construção da matemática e a construção das operações.

Abaixo há duas fotos de exemplos de como ajudar as crianças com dificuldade em operações simples de adição e subtração usando o concreto.

• 7+2 usando canetinhas como objeto concreto afim de ajudar os alunos a raciocinarem visualizando, ou pode ser feita a simbolização através de pauzinhos.

Matemática

• 8-4 usando forminhas de doces, colocando oito formas fica mais fácil para a criança poder retirar 4 e saber como funciona a subtração.

Matemática

Depois deste texto e dos dois exemplos, espero que eu tenha ajudado um pouco e que possamos cada vez mais ajudar as crianças a entenderem melhor a matemática e quebrar o tabu de que matemática é muito chata.

Brincando na cozinha: Bala de gelatina

Brincando na cozinha

A receita de hoje é mais do que prática, as crianças precisarão de ajuda apenas com relação a água quente. Esta receita fica uma delícia e vicia (rs), toda hora as crianças vão querer comer uma balinha de gelatina, e o mais legal é que é uma receita que contém muito colágeno.

Ingredientes

• 2 folhas de gelatina sem sabor
• 1 caixa de gelatina com o sabor da sua preferência
• água fervente

Bala de gelatina

Modo de preparo

Derreta as folhas da gelatina sem sabor conforme as instruções da embalagem. (Eu piquei as 2 folhas, coloquei 2 colheres de água e levei ao micro-ondas por 15 segundos, retirei e mexi até ficar totalmente derretida)
Misture a gelatina com o sabor de sua preferência em 250 ml de água fervente, acrescente a gelatina sem sabor, coloque em um recipiente e leve a geladeira até ficar firme.
Após ficar firme, corte em cubinhos e serva a todos!

Bala de gelatina

Como orientar seu filho a arrumar a mochila

Leitores escolhi este tema, porque cada vez mais nossos alunos, filhos, sobrinhos, em geral preferem não arrumar a mochila para o próximo dia de aula e isso acaba atrapalhando o desenvolvimento e a correção das lições de casa, por isso devemos ensinar não só em casa, mas em sala de aula, como eles devem arrumar suas mochilas, pois é algo que eles muitas vezes não sabem.

Devemos orientá-los a olharem todos os dias o horário das aulas para fazerem as lições, e até mesmo verificarem se está tudo em ordem e completo;
Após a verificação e o término das lições de casa, eles deverão separar os cadernos e os materiais necessários para o próximo dia;
É muito importante nas primeiras vezes os pais acompanharem esta organização e verificarem se os alunos realmente arrumaram corretamente o material.

Material

E é dever dos professores acompanharem se os alunos realmente levaram todos os materiais do dia, e caso não tenham levado devem avisar os pais para que assim possam conversar com seus filhos e acompanhar mais de perto.

Sei que os alunos precisam de autonomia, mas nos primeiros anos do fundamental I (1°, 2° e 3°) é fundamental que as crianças sejam orientadas e acompanhadas a todo momento, para que assim elas se tornem pessoas mais organizadas.

Fora que devemos orientá-los a nunca levarem todos os cadernos, livros, apostilas e materiais, porque o excesso de peso causará problemas futuros à coluna e atrapalhará na formação dos mesmos.

Concluindo, a todo momento devemos orientar as crianças, pois não devemos ter a certeza de que eles já sabem o que devem fazer e além do mais, são crianças e elas esquecem o que realmente devem fazer, por isso vamos orientá-los e depois dar autonomia aos poucos para que assim possam ter um bom aproveitamento em sala de aula.



Load More...