A mulher na cabine 10

Escritora: Ruth Ware ǀǀ Editora:…

View more

Usei… E gostei!

Se você assim como eu…

View more

Antepasto de berinjela

Ingredientes • 1 berinjela grande…

View more

Mês: Setembro

Este mês as dicas de…

View more

Motive-se

Para acabar com a negatividade…

View more

Meu pé de laranja lima

Escritora: José Mauro de Vaconcelos…

View more

Mês: Agosto

As aulas já começaram, por…

View more

Danoninho caseiro

Esta é uma receita que…

View more

Como ajudar as crianças a entenderem a matemática

Nós, adultos, temos dificuldade em alguma área da matemática, imaginem as crianças…

Mês passado fiz um curso sobre matemática cujo o nome era “Construindo e compreendendo as ações e operações matemáticas”. Este curso me abriu muito os olhos, principalmente com relação as operações mais simples. Aos poucos vou vir compartilhar com vocês o que aprendi, mas hoje vou falar um pouco sobre a dificuldade que as crianças tem em desenvolver as contas e as situações problemas mais simples da matemática.

As crianças de hoje em dia são diferentes das de antigamente, pois hoje em dia os estudos estão mais avançados, a criação é diferente, as crianças estão mais espertas, principalmente com relação as tecnologias e estão sempre em busca de mais, por isso devemos sempre nos reinventar e traçar novos métodos para podermos ter a atenção das crianças e poder fazer com que compreendam a matéria.

Antigamente tínhamos que aprender na raça, ou apenas decorar, principalmente quando o assunto era TABUADA – ninguém nem conseguia ouvir o nome sem ficar estressado, rs. Não explicavam para a gente o porque, qual era o objetivo e para que servia, mas hoje com muitos estudos, principalmente na área da neurociência, vemos qual a importância de se passar tais informações para as crianças e vemos quão diferente é a aprendizagem assim que você passa a explicar melhor, ao invés de impor e querer que a criança apenas decore.

A primeira dica valiosa que aprendi no meu curso de matemática foi que, tudo que for apresentado para as crianças, primeiro elas precisam ter o contato com o concreto, pois para ela é muito abstrato apenas ter que fazer uma operação ou até mesmo uma situação problema, por isso tudo primeiro tem que ser trabalhado com o concreto (ficou redundante, mas é para dar muita enfase na necessidade da criança de tocar e olhar o material), com a construção. É rico e de grande ajuda para a criança se o que for trago estiver relacionado com o dia a dia da classe, pois além de concreto a criança também está familiarizada com o assunto.

Muitas vezes queremos passar logo a matéria, porque o prazo dos livros/ apostilas estão se excedendo e temos um prazo para terminá-los, mas não adianta darmos a matéria de qualquer jeito, temos que focar num bom aprendizado e levar em conta que cada aluno tem o seu tempo e precisa realizar a construção da matemática e a construção das operações.

Abaixo há duas fotos de exemplos de como ajudar as crianças com dificuldade em operações simples de adição e subtração usando o concreto.

• 7+2 usando canetinhas como objeto concreto afim de ajudar os alunos a raciocinarem visualizando, ou pode ser feita a simbolização através de pauzinhos.

Matemática

• 8-4 usando forminhas de doces, colocando oito formas fica mais fácil para a criança poder retirar 4 e saber como funciona a subtração.

Matemática

Depois deste texto e dos dois exemplos, espero que eu tenha ajudado um pouco e que possamos cada vez mais ajudar as crianças a entenderem melhor a matemática e quebrar o tabu de que matemática é muito chata.

Livro paradidático – Peter Pan

No último bimestre de 2015 nós vamos usar o livro “Peter Pan” como livro paradidático, onde os alunos o lerão e depois realizarão um trabalho em cima do livro com perguntas, respostas, pesquisa sobre os 7  hábitos e ilustração. Muitas vezes os alunos perguntam qual a importância do trabalho em cima do livro paradidático, porque muitas vezes não gostam de ler o livro, de interpretar, ou os pais não querem comprar, mas eu explico que a leitura e o trabalho do livro paradidático é muito importante para a compreensão e interpretação de história, fora que os ajuda na imaginação, na escrita e na própria leitura e é por isso que cobramos e insistimos que eles façam todos os anos.

Mas voltando ao assunto do “Peter Pan” (rs), como vamos usar este livro no último bimestre, resolvi entrar em contato por e-mail com a Editora Zahar para solicitar dois exemplares do livro – um para mim e outro para a professora do 4º A (as editoras geralmente fornecem um exemplar para o professor desde que este livro seja adotado pela escola e pelos alunos). Fui muito bem atendida pela Editora Zahar e seus representantes e de primeiro momento me redirecionaram para a área correta e assim entrei em contato com a representante da editora que viria a nos fornecer os dois livros, porém ela queria fazer uma visita à escola, já que eles não à conheciam e assim marcamos uma reunião (eu, minha coordenadora e a representante da Editora Zahar).

No dia marcado eu fiquei muito ansiosa (já nem sou ansiosa, rs) e fui para a reunião no horário marcado. Durante a reunião a representante nos mostrou o catálogo de livros de 2015, nos contou algumas histórias infantis na qual eu me impressionei e amei de cara. Depois ela foi para a aba dos clássicos que são os livros que nós usamos e sinceramente eu sou apaixonada pelos livros da Editora Zahar, pois são capa dura e tem um preço acessível a todos.

Terminando a apresentação do catálogo conversamos sobre o meu projeto de leitura com o 4º ano, minha coordenadora falou sobre o meu blog e dicas de livros que faço (e confesso que eu fiquei com vergonha, mas feliz pelo reconhecimento) e a representante disse para eu me inscrever na seção de parceria que há no site da editora e finalizou a reunião nos presenteando com alguns livros… Eu recebi 4 (3 para mim e 1 para a professora do 4ºA) e minha coordenadora recebeu 2 livros infantis que ela encaminhou para a educação infantil, mas eu me recordo dos nomes que são: “Na Floresta” de Anthony Browne – que é espetacular, pois traz vários contos em um só livro – e o “Não derrame o leite” de Stephen Davies – no qual eu achei fantástico para trabalhar a autonomia e a responsabilidade nas crianças pequenas.

Abaixo estão os livros que recebi!

• Peter Pan – J. M. Barrie

• Diário de Pilar no Egito – Flávia Lins e Silva

• Peter Pan – J. M. Barrie – Edição comentada e ilustrada

Editora Zahar Editora Zahar Editora Zahar

Bom é isso! Gostaria de contar sobre o livro paradidático do último bimestre, meu contato com a Editora Zahar e como fui bem atendida pelas representantes, e assim que eu finalizar a leitura dos livros eu venho fazer uma resenha para vocês.

15 de Outubro – Dia dos professores

Boa tarde queridos leitores!

Hoje vim parabenizar os professores de plantão e também para lembrar aqueles que não são professores, mas que tiveram ou tem algum professor que marcou que hoje é Dia dos Professores.
Gostaria de dar Parabéns a esses profissionais (para mim principalmente, rs) por fazerem a coisa mais importante que há no mundo: ensinar. Pois sem aprender não seríamos nada e nenhuma profissão existiria.
É um trabalho que vai além da transmissão de conhecimento, conteúdo ou avaliação. É um trabalho que nos entregamos de corpo e alma, que damos o nosso melhor e que muitas as vezes chegamos em sala de aula já cansados, por ter que preparar a aula antes, ou uma atividade bem elaborada, ou até mesmo por ter ficado até tarde no dia anterior corrigindo provas e trabalhos, mas quando vemos os sorrisos dos nossos alunos e o carinho que demonstram por nós nos derretemos.
É uma profissão difícil? É. É uma profissão cansativa? É. Mas falo por mim que é gratificante ver o quanto influenciamos e como podemos mudar a vida de uma criança e não tem recompensa maior do que ver o brilho nos olhos deles e verem que realmente aprenderam.

Aproveitem o dia professores!

Beijinhos