Mês: Outubro

E o mês das crianças…

View more

Usei… E gostei!

Sabe qual é o melhor…

View more

Rocambole de carne moída com purê de batatas

Ingredientes do rocambole • 1…

View more

Mês: Outubro

Mês das crianças pede o…

View more

Motive-se

O Carinhas é um site…

View more

A mulher na cabine 10

Escritora: Ruth Ware ǀǀ Editora:…

View more

Usei… E gostei!

Se você assim como eu…

View more

Antepasto de berinjela

Ingredientes • 1 berinjela grande…

View more

Motive-se

Motive-se

Ano passado comecei a fazer com os meus alunos um projeto motivacional, no qual incluía frases trazidas por eles. Todo dia era a mesma rotina: relaxamento, leitura da frase, discussão sobre ela e depois começávamos nosso dia com a agenda e as matérias.

• Por que eu criei esse esse projeto?
Pois percebi um pouco de falta de empatia dos alunos, falta de respeito com a opinião dos demais e aproveitei a deixa e linkei com os 7 hábitos desenvolvido no colégio que eu trabalho, com o decorrer do projeto percebi uma mudança nos alunos, mudança esta que os deixou até mais calmos.

• Como funcionava o projeto?
O líder do dia era responsável por trazer uma frase e lê-la para a sala, depois do debate ele a escrevia em metade de uma folha de sulfite e colocávamos na parede para que aquela frase ficasse exposta e quem quisesse a leria depois. Mas com o passar do tempo não apenas o líder do dia trazia uma frase, mas como vários alunos traziam e muitas vezes um aluno trazia mais de uma frase gerando assim um acréscimo no nosso dia, já que o começávamos com motivação e inspiração. Logo os alunos passaram a gostar e interiorizar algumas palavras ditas, por isso realmente acredito nesse projeto.

Confesso que ainda não comecei este projeto este ano, mas ele irá começar ainda neste trimestre!

Logo, pensando no meu projeto, vou começá-lo aqui também trazendo frases motivacionais e que nos dê inspirações, e claro trazer pessoas diferentes e que fazem de uma frase não apenas uma frase, mas uma arte que nos dá inspiração e que alegra nossos dias. Espero que gostem!

Mês: Final do ano

E mais um ano letivo acabou e como sempre ficamos com a sensação de dever cumprido, mas ai vem a reflexão e se
pararmos para pensar e rever algumas coisas que fizemos, como trabalhamos, como agimos, acabamos vendo que não foi a melhor maneira de ter lidado com a situação, que poderíamos ter feito diferente.

Então hoje vim falar sobre um livro que me ajudou muito para saber como lidar com algumas situações e até mesmo como conseguir que os alunos se concentrassem nas aulas e ficassem mais focados.

Pais brilhantes, Professores fascinantes

Informações: Escrito pelo Austo Cury e publicado pela editora Sextante em 2.003. Número de páginas: 169

Descrição: Formar crianças e adolescentes sociáveis, felizes, livres e empreendedores é um belo desafio nos dias de hoje. A solidão nunca foi tão intensa: os pais escondem seus sentimentos dos filhos, os filhos escondem suas lágrimas dos pais, os professores se ocultam atrás do giz. Estes são alguns dos temas fundamentais que você encontrará neste livro: os sete hábitos dos pais brilhantes; os sete hábitos dos professores fascinantes; os sete pecados capitais dos educadores; as dez técnicas pedagógicas que podem revolucionar a sala de aula e a de casa.
A quem interessa este livro? Aos pais, aos professores da pré-escola, do ensino fundamental, médio e universitário, aos psicólogos, aos profissionais de recursos humanos, aos jovens e a todos os que desejam conhecer alguns segredos da personalidade e enriquecer suas relações sociais.

Opinião: O livro é realmente muito bom, contém experiências, dicas, até mesmo para o dia a dia, pois ele é direcionado tanto para pais como para professores e ambos você poderá usar em sala de aula. Ele é dividido em
alguns momentos, sendo assim fácil e prático, ainda mais se você quiser fazer alguma marcação, para poder estar sempre relendo. Muitas das dicas uso no meu dia a dia, uma dela é na hora em que estão copiando algo da lousa, ou criando textos, ou fazendo contas, eu coloco uma música clássica para eles ouvirem. Tem outra de fazer eles se colocarem no nosso lugar, que é excelente. E um super aliado na hora da música é o SPOTIFY, não sei se alguém já
ouviu falar, mas lá tem pastas e você escolhe a que quer ouvir no dia.

Bem é isso por hoje, vamos refletir sobre nosso ano e fazer algumas mudanças positivas para o ano que vem pessoal, desta forma estaremos sempre nos reciclando e inovando, para nunca ficarmos estagnados.

Beijinhos e até a próxima

Avaliação dentro de sala de aula.

Hoje vou abordar um assunto que hoje em dia é muito discutido dentro e fora da escola, pois preocupa tanto os professores, como os pais.

Tem professores e escolas que até hoje acham que avaliar o aluno é meramente através da nota que ele tira em uma prova, ou trabalho, mas hoje em dia com as mudanças na escolas, nas leis e até mesmo nos materiais escolas, percebemos que essa avaliação em sala de aula está mais flexível e abrangendo vários aspectos dos alunos.

Primeiro, devemos levar em conta o aluno por si só, não avaliar o grupo, cada aluno tem o seu tempo de aprender, tem a sua capacidade e diferença de um para o outro, as vezes um pode ter mais facilidade em uma matéria do que o outro e assim por diante. É ai que entramos, se percebemos que um aluno tem mais dificuldade em uma matéria do que em outra, daremos um suporte para ele e temos que ser observadores e cautelosos para não deixar isso passar, para quando chegar o final do ano o aluno não se prejudique e nem fique sem entender a matéria.

Segundo, devemos avaliar os alunos em todos os momentos não só nas provas. Avaliar pelo caderno, pelas respostas ás perguntas, pela leitura, comportamento e o que mais for necessário. Mas quando digo avaliar, não significa dar notas e sim dar um elogio, fazer um comentário para o próprio aluno dizendo que ele tem que melhorar em certo aspecto, pois nem tudo gira em torno de uma nota, eles tem que aprender a fazer e melhorar, pois será bom para eles próprios.

Achei interessante esta nota que li em um site ”

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), aprovada em 1996, determina que a avaliação seja contínua e cumulativa e que os aspectos qualitativos prevaleçam sobre os quantitativos. Da mesma forma, os resultados obtidos pelos estudantes ao longo do ano escolar devem ser mais valorizados que a nota da prova final.

E é verdade isso, nela que me baseio para avaliar meus alunos. Mas a escola em que trabalho tem essa visão que nos ajuda bastante e faz com que os alunos façam por si sós para serem valorizados.

Então, percebemos que hoje em dia a avaliação é mais ampla e que é apenas levarmos em consideração o objetivo de cada aluno e a sua capacidade e dificuldade que conseguiremos avaliar e ajudar nossos alunos a aprenderem e crescerem.

Espero que tenham gostado da informação.
Beijinhos.