[post-slides]

Menina má

Menina MáInformações: É um romance de William March que foi escrito em 1954 e ganhou sua adaptação cinematográfica em 1956, em 2016 foi repaginado e relançado pela Editora Dark Side. Número de páginas: 262.

Classificação: Adulto.

Descrição:  Rhoda, a pequena malvada do título, é uma linda garotinha de 8 anos de idade. Mas quem vê a carinha de anjo, não suspeita do que ela é capaz. Seria ela a responsável pela morte de um coleguinha da escola? A indiferença da menina faz com que sua mãe, Christine, comece a investigar sobre crimes e psicopatas. Aos poucos, Christine consegue desvendar segredos terríveis sobre sua filha, e sobre o seu próprio passado também.

Opinião: A principio quando uma colega de de trabalho me apresentou o livro eu fiquei louca para lê-lo, tamanha a minha fascinação por livros de suspenses psicológicos, então, lá fui eu empolgada comprar o livro pela internet e esperá-lo chegar ansiosamente. O livro é lindo, a Editora Dark Side está de parabéns, que livro lindo! Ele é de capa dura, cheio de detalhes, há ilustração no inicio e no fim, este com certeza é um dos livros mais bonitos da minha estante!

Vamos a história, que é contada em terceira pessoa através da visão dos personagens que estão na cena retratada. A escrita do livro é bem detalhada e fluida e no incio a Rhoda não aparece muito, e é descrita como uma menina muito bonita, bem vestida e perfeccionista. Rhoda mantem seu quarto muito bem arrumado, não tira nada do lugar, assim como seu quarto, seu cabelo e suas vestimentas são impecáveis, fora que ela é uma aluna exemplar, e sua mãe sempre faz tudo o que ela deseja, mesmo a achando peculiar. Ela e seu marido até dão risada e ficam pensando a quem a Rhoda puxou, pois a filha não é nada parecida com eles.

Menina Má

Assim como em todos os verões a escola de Rhoda sai para fazer o piquenique anual de verão das irmãs Fern – este é o primeiro ano de Rhoda nesta escola -. Neste passeio também vai o Claude Diagle, que é o menino que recebeu a medalha de melhor caligrafia, e esta era a medalha que Rhoda tanto queria, por isso ela não se conforma em não ter ganhado ela e então começa a perseguir o Claude.

No retorno para a escola, o Claude sumiu e assim que o acharam ele estava morto!

A partir desta morte a Christine passa a ficar de olho no que acontece ao seu redor, sua família não foi convidada para o velório do menino, não foram convidados a participarem do rateio para comprar uma coroa de flores que foi feita pela escola para dar para o Claude e a escola alega não ter vaga para o próximo ano para a Rhoda, por isso Christine terá que procurar outra escola, mas o que mais está preocupando Chirstine é o fata do sua filha ter presenciado uma tragédia tão grande.

Menina Má

Depois de conversar coma as irmãs Fern e de ir a casa de Claude, Christine confronta Rhoda sobre o acontecido, ela diz que não sabe de nada – ao ler as falas da Rhoda eu fiquei imaginando uma criança fria, sem sentimentos nenhum falando e foi o que mais me surpreendeu, tamanha frieza com que a Rhoda agia. Conforme Christine ia pressionando, a Rhoda negava e ainda depois vinha querendo agradar sua mãe, com um sorriso de uma covinha e até mesmo dizia:

“Se eu der para você  uma cesta de beijinhos, o que você me dá de volta?” (Esta era uma brincadeira inventada pelo pai de Rhoda, para ver se a filha realizava alguma demonstração de afeto).

Christine começou a pesquisar e a relembrar de fatos que ocorreram anos atrás, começou a ligá-las a Rhoda e a confrontar cada vez mais a filha que agia indiferentemente. Com os acontecimentos e as suas descobertas, Christine começou a estudar casos de psicopatas, como eles agiam, o que os motivavam a agir e se eles nasciam assim e isso a levou a uma grande descoberta que a fez  se culpar profundamente. Seus amigos já estavam falando que ela parecia doente, pois não se cuidava mais, não saia, só falava de casos de psicopatas e ainda vigiava a filha o dia inteiro.

“Eu não sei como a medalha foi parar lá, mamãe”, disse Rhoda, olhos arregalados e inocentes. “Como eu poderia saber disso?”

Menina Má

Este é um suspense psicológico que me agradou bastante, os conflitos que há com a Rhoda e o Leroy (o zelador do prédio onde ela mora com os pais), que é o único que a enxerga como ela realmente é, são únicos, pois ao mesmo tempo em que ele a confronta, ela mantem a classe e a frieza, mas aos poucos ela vai mostrando quem ela realmente é e vai expondo suas faces. Ao mesmo tempo que gostei do livro fiquei pensando e repensando se realmente há crianças assim, pois como professora não vejo uma criança agindo desta maneira, mas claro que todos sabemos que há crianças assim, mas é tão estranho que chega a ser inaceitável.

Como Rhoda no inicio do livro mal aparecia e ainda era doce ao falar, comecei a achar que ela realmente fosse uma criança normal e poderia até ser vista como uma criança inocente, mas ao decorrer do livro e dos acontecimentos eu vi que realmente ela era o que era. Por isso este é um livro que eu mais do que recomendo, por sua profunda história e grande desfecho.

No inicio do livro temos a explicação de que William se inspirou na sua própria infância e ainda serviu de inspiração para vários outros personagens de terror. Este é um livro que realmente deve ter tido muita repercussão na época, por causa dos assuntos encontrados nele e por causa dos personagens, por isso não percam tempo e leiam ele!

 

Mês: Junho

Mês Junho

Estou em tempo de fazer as indicações do mês de junho! Estou tentando manter uma regularidade e voltar ao normal. ainda estou em adaptação de trabalhar período integral, e vou logo dizendo, que não é fácil, ainda mais quando são salas diferentes, rs.
As cinco dicas do mês de junho são livros de suspense policial com um pouco de thriller psicológico. Espero que gostem.

1. Seis anos depois do Harlan Coben – Editora Arqueiro

Descrição: Jake Fisher e Natalie Avery se conheceram no verão. Eles estavam em retiros diferentes, porém próximos um do outro. O dele era para escritores; o dela, para artistas. Eles se apaixonaram e, juntos, viveram os melhores meses de suas vidas.
E foi por isso que Jake não entendeu quando Natalie decidiu romper com ele e se casar com Todd, um ex-namorado. No dia do casamento, ela pediu a Jake que os deixasse em paz e nunca mais voltasse a procurá-la.
Jake tentou esconder seu coração partido dedicando-se integralmente à carreira de professor universitário e assim manteve sua promessa… durante seis anos.
Ao ver o obituário de Todd, Jake não resiste e resolve se reaproximar de Natalie. No enterro, em vez de sua amada, encontra uma viúva diferente e logo descobre que o casamento de Natalie e Todd não passou de uma farsa.
Agora ele está decidido a ir atrás dela, esteja onde estiver, mas não imagina os perigos que envolvem procurar uma pessoa que não quer ser encontrada.

2. Objetos cortantes da Gillian Flynn – Editora Intrínseca

Descrição: Recém-saída de um hospital psiquiátrico, onde foi internada para tratar a tendência à automutilação que deixou seu corpo todo marcado, a repórter de um jornal sem prestígio em Chicago, Camille Preaker, tem um novo desafio pela frente. Frank Curry, o editor-chefe da publicação, pede que ela retorne à cidade onde nasceu para cobrir o caso de uma menina assassinada e outra misteriosamente desaparecida.
Desde que deixou a pequena Wind Gap, no Missouri, oito anos antes, Camille quase não falou com a mãe neurótica, o padrasto e a meia-irmã, praticamente uma desconhecida. Mas, sem recursos para se hospedar na cidade, é obrigada a ficar na casa da família e lidar com todas as reminiscências de seu passado.
Entrevistando velhos conhecidos e recém-chegados a fim de aprofundar as investigações e elaborar sua matéria, a jornalista relembra a infância e a adolescência conturbadas e aos poucos desvenda os segredos de sua família, quase tão macabros quanto as cicatrizes sob suas roupas.

3. Até você ser minha da Samantha Hayes – Editora Intrínseca

Descrição: E se você desejasse a morte de uma pessoa e isso acontecesse? E se o assassino fosse alguém que você ama? O namorado de Valerie Leftman, Nick Levil, abriu fogo contra vários alunos na cantina da escola em que estudavam. Atingida ao tentar detê-lo, Valerie também acaba salvando a vida de uma colega que a maltratava, mas é responsabilizada pela tragédia por causa da lista que ajudou a criar. A lista com o nome dos estudantes que praticavam bullying contra os dois. A lista que ele usou para escolher seus alvos. Agora, ainda se recuperando do ferimento e do trauma, Val é forçada a enfrentar uma dura realidade ao voltar para a escola para terminar o Ensino Médio. Assombrada pela lembrança do namorado, que ainda ama, passando por problemas de relacionamento com a família, com os ex-amigos e a garota a quem salvou, Val deve enfrentar seus fantasmas e encontrar seu papel nessa história em que todos são, ao mesmo tempo, responsáveis e vítimas. A lista negra, de Jennifer Brown, é um romance instigante, que toca o leitor; leitura obrigatória, profunda e comovente. Um livro sobre bullying praticado dentro das escolas que provoca reflexões sobre as atitudes, responsabilidades e, principalmente, sobre o comportamento humano. Enfim, uma bela história sobre auto-conhecimento e o perdão.

4. A vingança da maré de Elizabeth Haynes – Editora Intrínseca

Descrição: Depois de trabalhar arduamente por muito tempo – alternando um emprego como executiva de vendas durante o dia com o de dançarina de pole dance à noite -, Genevieve finalmente conseguiu juntar dinheiro para realizar seu sonho: comprar e reformar um barco e mudar-se para Kent, bem longe da estressante vida em Londres que tanto a aborrece. Tudo parece enfim perfeito. Até que, na festa de inauguração do barco, enquanto amigos de sua antiga vida parecem zombar do que agora lhe é tão caro, um corpo aparece boiando próximo ao ancoradouro, e Genevieve reconhece a vítima. Ao perceber seu santuário flutuante maculado, e convencida de que sua vida também está em risco, Genevieve se vê novamente envolvida com o perigoso submundo de corrupção, crimes e traição do qual pensava ter finalmente escapado. E está prestes a descobrir os problemas de se misturar negócios e prazer.

5. Os 13 porquês do Jay Asher – Editora Ática

Descrição: Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra na porta de casa um misterioso pacote com seu nome. Dentro, ele descobre várias fitas cassetes. O garoto ouve as gravações e se dá conta de que elas foram feitas por Hannah Baker – uma colega de classe e antiga paquera -, que cometeu suicídio duas semanas atrás. Nas fitas, Hannah explica que existem treze motivos que a levaram à decisão de se matar. Clay é um desses motivos. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.

Mês Junho


[instagram-feed]